Ao contrário do que ficou decidido pelos servidores do Departamento Nacional de Infra-estrutura de Transportes (Dnit) de Brasília, a categoria em Mato Grosso iniciará greve a partir da sexta-feira (21) pelo descumprimento do acordo por parte do governo.
Para o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Federais de Mato Grosso (Sindsep-MT), Carlos Alberto de Almeida, é importante que a capital federal esteja junto com os demais estados nesse momento para fortalecer a mobilização. “Os servidores de Brasília dariam mais força. Porque dar mais esse voto de confiança para o governo é como dar um tiro no escuro e pode enfraquecer a greve da categoria se for adiada a paralisação, o momento é agora”, disse Carlos.

Ontem, os trabalhadores do Distrito Federal resolveram apostar no processo de negociação com o governo, pelo menos até o dia 24, quando está pré-agendada a última reunião no Ministério do Planejamento. No dia 25, a categoria realiza nova assembléia e volta a avaliar o processo de mobilização.

A Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal (Condsef) espera o resultado de outras assembléias para formar o quadro nacional do movimento de mobilização do Dnit. O embate entre categoria e União se sustenta no fato de que o Ministério do Planejamento teria interpretado de forma diferenciada o reajusta do salário entre as diferentes autarquias (Dnit, Antt, Antaq) e está resistente nas negociações que tratam da igualdade entre os funcionários do Ministério do Transporte.