Tirar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) vai ficar mais caro a partir de janeiro de 2009. O encarecimento é porque o candidato terá de ter mais aulas práticas e teóricas. O tempo para concluir o processo do documento também ficará mais demorado. As mudanças foram determinadas pelo governo federal.

De acordo com a Associação dos Proprietários de Auto-Escolas de Ribeirão Preto (Apaerp) o custo deve aumentar entre 15% e 20%. Atualmente, a média para tirar a CNH de carro e motocicleta, é de R$ 750. Com o aumento, esse valor pode chegar a R$ 1 mil.

“Se tivesse que pagar esse valor, não conseguiria tirar minha carteira de motorista”, afirma Maísa Elisário, que pagou R$ 700 para a CNH de carro e moto.

Para o Conselho Nacional de Trânsito (Contran), as medidas vão aumentar a segurança no trânsito, reduzir acidentes e melhorar a comportamento nas cidades e rodovias. Entre as novas regras está o aumento da carga horária do curso de Legislação, que passará de 30 para 45 horas.

“Até acho que pode ser bom para os motoristas, mas com um valor alto assim as auto-escolas vão ter que facilitar o pagamento”, diz Patrícia de Oliveira, que já gastou R$ 900 na CNH.

“Percebemos que o Governo está fazendo um verdadeiro pacote para melhorar o trânsito no país”, diz Raquel Almqvist, diretora do departamento de psicologia da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet).

Procura ainda é pequena

Mesmo com o anúncio do aumento, a procura de novos condutores ainda não cresceu nas auto-escolas.

Segundo a Associação dos Proprietários de Auto-Escolas de Ribeirão Preto (Apaerp), a greve da Polícia Civil e a paralisação da Ciretran, há 30 dias, impossibilita que novos alunos se inscrevam para iniciar o processo.

Atualmente, três mil pessoas aguardam em uma fila de espera para se increver na Ciretran.