PRF registra cerca de 60 carros por minuto na barreira de Ananindeua

Foi intenso o fluxo de veículos na barreira da Polícia Rodoviária Federal (PRF), em Ananindeua, no final da tarde de ontem. Cerca de 60 veículos passarm pelo local, por minuto, em direção a Belém. O Terminal Rodoviário também teve um dia movimentado, mas não tanto quanto na semana passada.

Grande parte das pessoas que chegaram em Belém de carro passou pela barreira da PRF no final da tarde de ontem, causando um princípio de congestionamento na rodovia BR-316. Tirando esse momento de pico, não houve grandes transtornos para chegar à cidade. O pessoal deixou para voltar cedo hoje. Agora de noite (às 21 horas) o fluxo já ficou normal , disse o agente Amadeu.

A maioria dos acidentes ocorridos ontem, segundo o agente, foi leve, com pequenos danos materiais. A exceção foi a capotagem ocorrida no quilômetro 25 da rodovia BR-316. O motorista de um Gol branco cochilou no volante e perdeu o controle do carro. O veículo subiu no canteiro central do rodovia, capotou e bateu em um tubo de concreto. De acordo com os policiais, Rafaela Júnior Furtado, de 24 anos, bateu a cabeça no concreto e morreu na hora.

O domingo no Terminal Rodoviário não decepcionou os taxistas que trabalham no local. O movimento não foi comparável ao ocorrido no último final de semana de julho, mas ainda suficiente para dar algum lucro, na avaliação do taxista João Florentino de Souza, fundador da Associação de Taxistas do Terminal. Em geral, o começo de julho não é empolgante, mas sim o final. O movimento foi bom ainda hoje, com o restante de pessoas que ainda iria chegar , avalia.

Entre essas pessoas estava Fabrícia Oliveira da Costa, estudante de contabilidade. Ela viajou para Fortaleza nos primeiros dias de julho e resolveu aproveitar as férias até o último dia, indo para Salinópolis. A volta ficou para ontem à noite, já que hoje é dia de volta às aulas. Esse tempo livre sobra para isso mesmo, né? , dizia, enquanto se preparava para entrar no táxi e voltar para casa.