Por ser uma rodovia concessionada e com os recursos recebidos

do pedágio pago pelos usuários, o piso poderia estar bem melhor

do que está. Esta é a avaliação do agrônomo e gerente de

recursos humanos Rubens Ferracioli Peres, sobre o trecho da

rodovia Anhangüera (SP 330) compreendido entre Ribeirão Preto e

Orlândia.

Morando em Ribeirão e trabalhando na cidade vizinha, Peres

percorre o trecho diariamente, para ir e voltar do trabalho.
Ele até reconhece que o local é de tráfego intenso e pesado, o

que provoca um desgaste no asfalto. “Mas por ser concedida e

pedagiada, o asfalto deveria ser excelente e tem trechos que

não estão em boas condições”. Buracos, fissuras, ondulações,

desníveis e desgastes no asfalto, além de uma sinalização de

solo encardida e gasta, são problemas enfrentados pelo

motorista que viaja pela via Anhangüera no trecho que liga

Ribeirão Preto a Igarapava.

São 131 quilômetros de uma das principais rodovias do país, que

liga o Estado de São Paulo ao Triângulo Mineiro.

Administrado pela concessionária Vianorte, o trecho quilômetros

possui duas praças de pedágio, uma em Sales Oliveira (km 350) e

outra em Ituverava (km 405), onde as categorias mais baratas

custam R$ 6,10 e R$ 7,50, respectivamente.

Diante dos altos valores, o empresário Rosivaldo Aziz

Illipronti critica a falta de cuidados por parte da

concessionária. “Os pedágios são caríssimos e a concessionária

poderia dar mais atenção à estrada”, critica o usuário.

Problema
A Artesp (Agência de Transporte do Estado de São Paulo)

reconhece os problemas apontados pelos usuários da rodovia

Anhangüera no trecho sob concessão da Vianorte.

A Agência informou através de sua assessoria de imprensa que

realiza vistorias mensais nas rodovias concessionadas e que de

fato a Anhangüera apresenta problemas de rachaduras e desgaste

nos 131 km entre Ribeirão Preto e Igarapava.

Segundo a Atesp, a pista apresenta recapeamento e sinalização

de solo inadequados. O trecho mais crítico, segundo a Agência,

é entre os quilômetros 330 a 340, na divisa de Ribeirão e

Jardinópolis.


PROVIDÊNCIAS
Artesp garante obras

Segundo a Artesp (Agência de Transporte do Estado de São

Paulo), intervenções de emergência, como a pintura das faixas

de solo, serão feitas pela concessionária a partir da próxima

semana.
No mês que vem, o recapeamento da pista ao longo do trecho será

refeito.

Igarapava
Segundo o diretor de engenharia da concessionária Vianorte,

Donaldo Trocoli Júnior, em setembro a concessionária vai

iniciar a sua terceira intervenção no trecho entre Ribeirão

Preto e Igarapava nos dois sentidos.

Serão feitas melhorias no pavimento (recapeamento e

recuperação), sinalização e drenagem, entre outras medidas.
As obras, segundo Trocoli, fazem parte do cronograma aprovado e

fiscalizado pela Artesp, agência reguladora dos serviços e que

está ligada à Secretaria dos Transporte do governo do estado de

São Paulo.