A van que transportava os sacoleiros para Dourados ficou praticamente destruída na colisão Colisão entre uma van de sacoleiros douradenses, que retornavam de Goiás, e um caminhão
frigorífico, ocorrida na madrugada de ontem, na altura do quilômetro 373 da BR-163, resultou na morte de sete pessoas, quatro feridos com lesões consideradas graves e um com lesões leves. O motorista do caminhão nada sofreu. Foi o mais grave acidente dos últimos 15 meses em rodovias do Estado. Em 10 de maio de 2005, nove ocupantes de um
ônibus escolar morreram na MS-295, entre Iguatemi e Tacuru.

O acidente aconteceu por volta das 5h40min, quando a van de placas HSP-8787, de Dourados, conduzida por Alessandro Dias da Silva, de 25 anos, retornava de Goiás e, em uma subida, a cerca de cinco quilômetros de Nova Alvorada do Sul, invadiu a pista contrária e colidiu na lateral esquerda do caminhão frigorífico HRD-3945, de Nova Andradina, de propriedade do Frigorífico Andrade, conduzido por Alexandre Sanches Pinot.

Segundo informações da Polícia Rodoviária Federal, a van, que transportava 11 passageiros, teve toda a parte lateral esquerda, o teto e a traseira arrancados na colisão. O caminhão sofreu avarias na parte frontal esquerda do furgão e no rodado dianteiro esquerdo, arrancado com a violência do impacto.

O motorista do caminhão, que acabara de sair de uma curva existente nas imediações do acidente, informou ter percebido que o motorista da van vinha em sua direção e ainda desviou para a direita, para evitar a colisão, mas não conseguiu impedir o impacto praticamente no rodado dianteiro esquerdo.

Policiais que atenderam a ocorrência e controlaram o tráfego no trecho acreditam que o motorista possa ter dormido ao volante. Na van foi encontrado recibo de abastecimento feito às 19 horas de domingo em Jataí (Goiás), a cerca de 600 km do local do acidente,
o que indica que o veículo trafegou durante a noite.

Segundo Claudemir Correia dos Santos, de 22 anos, que foi rremessado da van e sofreu somente um ferimento no rosto, o motorista teria parado em Campo Grande para uma rápida cochilada. O tráfego ficou lento por cerca de três horas após o acidente.

Morreram no local Benedita Madalena Marinho Manuel, Cristina Nunes da Silva, Izabel Ribeiro Lima, Luzia de Faria Biagi Lima, Maiara Aparecida Ribeiro Porfírio e Marli da Silva Garcia. O motorista da van morreu quando era levado para o hospital de Nova Alvorada do Sul.

Ficaram feridos no acidente e internados no hospital de Nova Alvorada do Sul, Neuza Barbosa da Silva, Claudemir Correia dos Santos, Cleonice Rita Cardoso e Simone dos Santos Barbosa e, no hospital de Rio Brilhante, Neuza Fernandes Rezende, de 47 anos.