A concessionária Vianorte (OHL Brasil) está dando continuidade aos trabalhos de recuperação de pavimento em diversos trechos dos 236,6 quilômetros de rodovias sob sua responsabilidade. As obras acontecem atualmente na Rodovia Armando de Salles Oliveira (SP-322), na Avenida Bandeirantes (SP-325) e na Rodovia Anhangüera (SP-330). No Anel Viário Norte de Ribeirão Preto (SP-328, Rodovia Alexandre Balbo) os serviços devem ser iniciados em março. As obras beneficiarão diretamente as cidades de Pitangueiras, Bebedouro, Ibitiúva, Viradouro, Terra Roxa, Barretos, Morro Agudo, Ribeirão Preto, Jardinópolis, Sales Oliveira, Orlândia, São Joaquim da Barra, Guará, Ituverava, Buritizal, Aramina e Igarapava.

A Rodovia Armando de Sales Oliveira, no quilômetro 388, está recebendo um viaduto que servirá à transposição da estrada vicinal BBD-020 com a SP-322. Nesta semana será feito o lançamento das vigas pré-moldadas e, na seqüência, a conclusão da super-estrutura do viaduto. Com a terraplenagem concluída foram iniciadas a pavimentação e a drenagem do local. De acordo com Marcello Portella, gerente de Obras e Conservação da concessionária, a previsão é que o viaduto seja entregue até o final de fevereiro.

Anel Norte e Anhangüera

Todo trecho da Rodovia Anhanguera sob responsabilidade da Vianorte, entre Ribeirão Preto e Igarapava, está sendo recuperado. Esta é a terceira intervenção no pavimento da rodovia desde que a concessionária assumiu a administração e operação em 1998. Estão sendo feitos serviços de sinalização horizontal (pinturas de solo) e recuperação, como fresagem, recomposição com CBUQ (Concreto Betuminoso Usinado a Quente) e micro-concreto asfáltico. A reciclagem da capa com emulsão e a drenagem já estão concluídas em todo trecho.

As obras de implantação de vias marginais entre os quilômetros 326 e 329 no Anel Viário Norte estão em fase de finalização. Já foi feita no local a terraplanagem e 90% da pavimentação está concluída. A previsão para o término de todo trabalho também é final de fevereiro. “Pedimos cautela aos usuários que trafegam pelas rodovias em obras, porque há máquinas e pessoal na pista trabalhando”, acrescenta Portella. Todos os trabalhos da Vianorte são fiscalizados e autorizados pela Artesp (Agência de Transportes do Estado de São Paulo).