O transporte de água mineral das fontes até os locais de armazenamento e distribuição será fiscalizado pela Coordenação de Vigilância Sanitária (Covisa) do Estado, numa ação conjunta com a Superintendência da Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Sergipe. As estratégias para o trabalho foram discutidas por representantes dos dois órgãos.

De acordo com o coordenador da Vigilância Sanitária estadual, Antônio de Pádua Pombo, o objetivo é garantir o cumprimento da Resolução 173/06 da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que regulamente as boas práticas de fabricação, envase, transporte, armazenamento, distribuição e comercialização de água mineral.

“Os policiais rodoviários vão verificar, por exemplo, se água está sendo transportada em veículos fechados protegida da incidência do sol. Também deverão observar se há na mesma carga botijões de gás, saneantes ou qualquer outro produto, o que é terminantemente proibido. Os carros para o transporte de água mineral devem ser utilizados apenas para este fim”, explicou Pádua.

Para ele, a parceria com a PRF será de grande importância, mas a Vigilância Sanitária também precisa do apoio de consumidores e comerciantes. “Aqueles que observarem embalagens de água mineral sem o registro do Ministério da Saúde devem denunciar às vigilâncias sanitárias municipais ou secretarias de saúde”, disse o coordenador.

Orientação

Segundo o superintendente da Polícia Rodoviária Federal, Robson Feitosa, ficou definido que todos os postos do órgão em Sergipe vão fiscalizar o transporte do produto. “Na próxima segunda-feira, 8, faremos uma ação com os técnicos da Covisa no posto da PRF de São Cristóvão, orientando os motoristas sobre os procedimentos corretos para o transporte de água mineral”, comentou.

“Depois disso, essa fiscalização passará a ser uma atividade de rotina. Faremos o enquadramento diante de qualquer irregularidade, podendo até notificar a indústria que fizer o transporte em desacordo com a resolução da Anvisa. Para isso, acionaremos a Vigilância Sanitária que tomará as medidas cabíveis”, acrescentou Robson Feitosa.

Registro

Em Sergipe, existem atualmente cinco indústrias de água mineral, todas com fontes em Itaporanga D’Ajuda ou São Cristóvão, mas que distribuem o produto para todo o estado. “No ano passado, duas dessas empresas suspenderam suas atividades porque estavam sem o registro da Anvisa. Hoje em dia elas já voltaram a produzir”, destacou Pádua.

O coordenador comentou ainda que algumas embalagens de água mineral da marca ‘Solara’, produzida em Maceió, foram apreendidas recentemente em Carira. “A empresa não possuía registro. Portanto, todo o lote foi recolhido e nós notificamos o fato à Coordenação de Vigilância Sanitária de Alagoas, que deverá fazer a fiscalização na fonte”, afirmou Pádua.