PRF prende caminhoneiro com rebite, exame toxicológico vencido e tacógrafo irregular, após tentativa de suborno

Segundo os policiais, foi solicitada a documentação do veículo e do motorista. O dinheiro estava entre os documentos

Um homem, de 41 anos, foi preso na noite de segunda-feira (1°/8)), na BR-343, em Piripiri, no Piauí, por oferecer vantagem indevida para não ser fiscalizado.

Durante fiscalização de rotina a um veículo de carga, os policiais solicitaram a documentação do veículo e do motorista. Ao proceder a verificação, foi constatada a presença de uma cédula de R$ 5,00 entre os documentos. O condutor negou saber da existência de valores entre a documentação.

Durante busca veicular, os policiais encontraram alguns comprimidos de Nobésio Extraforte (‘rebites’), medicamento que é utilizado para permanecer mais tempo dirigindo por longas distâncias.

Além disso, o motorista estava com o exame toxicológico vencido e com o equipamento tacógrafo deficiente/inoperante. Nesse momento, constatou-se que o valor em reais que fora deixado pelo motorista teria como objetivo passar pela fiscalização da unidade operacional PRF sem ser fiscalizado.

Constatado o oferecimento da vantagem indevida, a equipe policial deu voz de prisão em flagrante ao condutor e realizou a sua condução até a Delegacia de Polícia Civil de Piripiri para a tomada dos procedimentos cabíveis.

O crime de corrupção ativa está previsto no art. 333 do Código Penal e consiste no ato de oferecer, vantagem, qualquer tipo de benefício ou satisfação de vontade, que venha a afetar a moralidade da Administração Pública e se caracteriza quando a vantagem é oferecida ao funcionário público.

Além disso, pelo porte de rebites (anfetaminas), foi lavrado um Termo Circunstanciado por descumprimento ao Art. 28 da Lei. 11.343/06 – Porte de droga para consumo (consumado).

Fonte: PRF-Piauí

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui