AS MELHORES: São Paulo tem as melhores rodovias do Brasil, de acordo com a pesquisa CNT Rodovias 2019, divulgada nessa semana. Na foto, a Rodovia dos Bandeirantes (SP-348), ligação entre a capital e o interior. Foto: Divulgação

Ranking divulgado pela CNT mostra que 17 rodovias de SP e três que cortam o Estado são as primeiras colocadas

A malha rodoviária paulista sob concessão tem as melhores rodovias do país. É o que revela a 23ª Pesquisa Rodoviária da Confederação Nacional do Transporte, divulgada hoje em Brasília. Das 20 melhores ligações rodoviárias avaliadas pelo órgão, 17 recebem investimentos do Programa de Concessões Rodoviárias do Governo do Estado de São Paulo – todas foram classificadas como ótimas.
A Rodovia D. Pedro I (SP 65) é considerada a melhor rodovia do País pela primeira vez, na ligação entre Campinas e Jacareí, com acesso pela SP 340. O corredor é operado pelas Concessionárias Rota das Bandeiras e Renovias, sob fiscalização da Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp).
Em segundo lugar, aparece a Rodovia dos Bandeirantes (SP 348), seguida do Corredor Ayrton Senna/Carvalho Pinto (SP 70), importante alternativa à Rodovia Presidente Dutra nas viagens entre São Paulo e Rio de Janeiro, no trecho até Taubaté.
Outro dado apurado pelos técnicos da CNT, que foram a campo e avaliaram 108.863 quilômetros de rodovias, demonstra que a malha rodoviária que passa por São Paulo é a melhor do Brasil, com 81,8% de sua extensão classificada como ótima ou boa. Considerando todo o país, 59% dos trechos avaliados apresentaram estado geral com classificação regular, ruim ou péssima.
“A avaliação da CNT demonstra que São Paulo está no caminho certo ao delegar para o setor privados os pesados investimentos que são necessários para manter a qualidade da malha rodoviária sem abrir mão de uma forte regulação e fiscalização do setor”, comenta Giovanni Pengue Filho, diretor geral da ARTESP. “Este ano iniciamos o processo de concessão de mais dois lotes rodoviários, que passarão a ser operados com esse padrão das melhores rodovias do país”.
A importância de uma malha viária em boas condições está diretamente ligada à segurança, economia e também ao meio ambiente. De acordo com a CNT, rodovias com pavimento em péssimo estado de conservação conferem um acréscimo médio, no custo operacional do transporte, da ordem de 91,5%.
Na média nacional, considerando o atual estado da malha, o impacto é de 28,5% no custo operacional. São prejuízos que a malha concedida de São Paulo não agrega aos seus usuários.  Confira abaixo, o ranking da CNT com as melhores rodovias do país:

Pesquisa CNT/2019 – Ranking

| Ligação Campinas – Jacareí; D. Pedro I (SP-065) e Rodovia Gov. Adhemar Pereira de Barros (SP-340) – Classificado como ótimo, o trecho é administrado pelas concessionárias Rota das Bandeiras e Renovias
| Ligação São Paulo – Limeira; SP-310 / SP-348 Rodovia dos Bandeirantes – Classificado como ótimo, o trecho é administrado e operado pela concessionária CCR AutoBAn
| Ligação São Paulo – Taubaté – SP-070 – Sistema Ayrton Senna da Silva/Carvalho Pinto; Classificado como ótimo o trecho é administrado pela Ecopistas
| Ligação Bauru – Itirapina; SP-225 – Rodovia Comandante João Ribeiro de Barros e Rodovia Engº Paulo Nilo Romano – Classificado como ótimo, o trecho é administrado pela concessionária Centrovias
| Ligação São Paulo – Itaí – Espirito Santo do Turvo – Rodovia Castello Branco (SP-280) e Rodovia João Melão (SP-255); Classificado como ótimo, o trecho é administrado pelas concessionárias Via Oeste, Rodovias das Colinas e SP Vias
| Ligação Campo Coxo – Eleutério – Rodovia Wilson Finardi (SP-191) e Rodovia Comendador Virgolino de Oliveira (SP-352); Classificada como ótimo, o trecho é administrado pela concessionária Intervias e pelo DER (Departamento de Estradas de Rodagem) de São Paulo
| Ligação Piracicaba – Mogi Mirim – Rodovia Engº João Tosello (SP-147); Classificado como ótimo, o trecho é administrado pela concessionária Intervias
| Ligação São Paulo – Uberaba – Via Anhanguera (SP-330) – Classificado como ótimo, o trecho é administrado pelas concessionárias Autoban, Via Paulista, Intervias e Entrevias
| Ligação Barretos – Bueno de Andrade – Rodovia Brigadeiro Faria Lima (SP-326) – Classificado como ótimo, o trecho é administrado pelas concessionárias Triângulo do Sol e TEBE
10° | Ligação Rio de Janeiro (RJ) – São Paulo – Via Dutra (BR-116), trecho administrado pela Nova Dutra
11º | Ligação Sorocaba – Cascata – Mococa – Rodovia José Ermínio de Moraes, Rodovia Santos Dumont (SP-075), Rodovia Gov. Adhemar Pereira de Barros (SP-340/SP-342/SP-344), entre outros trechos que recebem outras denominações; Classificado como ótimo, o trecho é administrado pelas concessionárias Renovias, CCR ViaOeste e AB Colinas
12º | Ligação Araraquara – São Carlos – Franca – Itirapuã – Rodovia Antônio Machado Sant´Ana (SP-255), Rodovia Engº Thales de Lorena Peixoto Jr. (SP-318), Via Anhanguera (SP-330), Rodovia Cândido Portinari (SP-334) e Rodovia Engº Ronan Rocha (SP-345); Classificado como ótimo, o trecho é administrado pela concessionária Autovias
13° | Ligação Engenheiro Miller (Avaré/SP) – Jupiá (Castilho/SP) – Rodovia Marechal Rondon (SP-300) e Rodovia  Profº João Hipólito Martins (SP-209); Classificado como ótimo, o trecho é administrado pelas concessionárias Rodovias do Tietê e ViaRondon
14° | Ligação São Carlos – S. J. da Boa Vista – S. J. do Rio Preto – Rodovia Vicente Botta (SP-215) e Rodovia Dep. Eduardo Vicente Nasser (SP-350); Classificado como ótimo, o trecho é administrado pelas concessionárias Renovias e Intervias
15° | Ligação Ribeirão Preto – Borborema – Via Anhanguera (SP-330) – Rodovia Carlos Tonani e Rodovia Laurentino Mascari (SP-333); Classificado como ótimo, o trecho é administrado pela concessionária Triângulo do Sol
16° | Ligação Belo Horizonte – São Paulo – Rodovia Fernão Dias (BR-381); trecho administrado pela Autopista Fernão Dias
17º | Ligação Limeira – São José do Rio Preto – Rodovia Washington Luís (SP-310) e Via Anhanguera (SP-330); Classificado como ótimo, o trecho é administrado pelas concessionárias Autoban, Triângulo do Sol e Centrovias
18º | Ligação Rio Claro – Itapetininga – Rodovia Antônio Romano Schincariol, Rodovia Fausto Santomauro e Rodovia Cornélio Pires (SP-127); Classificado como ótimo, o trecho é administrado pelas concessionárias Colinas e CCR SPVias
19º | Ligação São Paulo – São Vicente – Sistema Anchieta-Imigrantes (SAI); Classificado como ótimo; trecho administrado pela Ecovias
20º | Ligação São Paulo – Curitiba – Rodovia Régis Bittencourt (BR-116); trecho administrado pela Autopista Régis Bittencourt

Programa de Concessões do Estado de São Paulo

O Programa paulista de concessões rodoviárias viabiliza pesados investimentos em obras e modernizações operacionais com intensa fiscalização e regulação feitas pela ARTESP – desde o início do programa, as concessionárias já investiram R$ 120 bilhões. A Agência Reguladora é responsável, também, por cobrar das concessionárias a conservação das rodovias e operação da malha de acordo com os parâmetros rigorosos estabelecidos nos editais e contratos de concessão, que abrangem 8,4 mil quilômetros de rodovias estaduais paulistas.
Os investimentos realizados asseguraram, por exemplo, a duplicação de 1.254 quilômetros da malha, implantação de 1.751 quilômetros de faixas adicionais e de 329 quilômetros de marginais. São obras que, além de trazerem conforto ao motorista, também aumentam a segurança. A duplicação, por exemplo, evita acidentes como colisões frontais e laterais comuns quando o motorista realiza ultrapassagens em pista simples utilizando a faixa do sentido contrário. As marginais segregam o tráfego urbano do fluxo de veículos de viagens longas, cujas características são conflitantes e, por vezes, causam acidentes.
Fonte: Assessoria de Imprensa da Artesp

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui