IBITIPOCA SEMPRE BELA: Conceição do Ibitipoca, em Minas Gerais, continua atraindo a curiosidade de milhares de turistas, que a visitam todos os anos, graças às belezas naturais como: o Roteiro das Águas, o Pico do Pião e a Janela do Céu (foto). Foto: O Turisteiro

Local inaugurou recentemente as chamadas “juliettis”, cadeiras adaptadas que permitem acesso ao local a deficientes motores

O tranquilo e rústico vilarejo de Conceição do Ibitipoca, na Zona da Mata de Minas Gerais, reserva surpresas encantadoras. Distrito do município de Lima Duarte, o local ainda preserva ruas de terra e calçadas em pedra, além dos forrós pés-de-serra.

Tudo é bem simples, talvez pelos 30 quilômetros de estrada de chão batido que separa Lima Duarte do “arraial”, que fica três quilômetros antes da portaria do Parque Estadual do Ibitipoca, uma reserva agraciada pela natureza com belas cachoeiras, grutas, picos com visuais de montanhas, flora exuberante, animais silvestres e trilhas inesquecíveis.

Mas não é só! A vila de Ibiti abriga outras preciosidades que poucos imaginam. Lá, é possível se hospedar com muito conforto e charme. Há hotéis e pousadas com ótima infraestrutura. Além disso, Ibiti tem fama de oferecer boa comida e música também. Há dois festivais tradicionalíssimos, que reúnem um público seleto e apaixonado pelos estilos e pelo inverno, há mais de 18 anos: o de jazz, em julho, e blues, em agosto. O primeiro, promovido pelo Serra de Ibitipoca Hotel de Lazer; enquanto o segundo pelo camping Ibitilua.

No tocante à gastronomia, há o festival Sabores da Serra, que desde seu lançamento já promoveu três edições. A programação acontece no mês de setembro ou outubro. A edição de 2020 ainda não tem data definida.

COMPRAS: Ruas de pedras e comércio com peças de artesanato, típicas da região, chamam a atenção dos turistas.

Hospitalidade – marca registrada dos mineiros

Não é à toa que o mineiro têm fama de ser hospitaleiro. Em Ibiti, é fácil entender o porquê. Em praticamente todos os finais de semana e feriados a música ao vivo que acompanha as delícias gastronômicas, o bate-papo na Praça da Matriz e a prosa ao lado da lareira são comuns. Ibiti é tão agradável que nem mesmo o friozinho abandona a vila.

Origem do nome

Antes pensavam que o significado de Conceição do Ibitipoca fosse “casa de pedra”, por causa das grutas que serviam de moradia aos índios; havia os que acreditavam na versão da “pedra que estala”, em referência aos trovões que são comuns na serra no período das chuvas. Entretanto, o professor de línguas Thunna Burnama esclareceu a origem: Ibitipoca significa: Yby=terra, tipe=tremer e oka=casa, aldeia. Logo o significado do nome da vila é “Casa da Terra que treme”.

Parque Estadual tornou-se ainda mais acessível

Se a Vila de Ibitipoca é frequentada por milhares de turistas de todo o Brasil, “agora tem como a gente fazer parte de todas as trilhas do Parque”. Foi com essas palavras que Lucas Santos, portador de deficiência motora, agradeceu em um vídeo e por meio de uma rede social, a oportunidade de conhecer o Parque Estadual da Ibitipoca, em Minas Gerais. No último dia 21 de janeiro, a reserva inaugurou duas cadeiras, chamadas Juliette, que serão utilizadas para que pessoas portadoras de deficiência possam aproveitar todas as belezas que o circuito Janela do Céu, Roteiro das Águas e Pico do Pião proporcionam.

MAIS ACESSÍVEL: O Parques Estadual de Ibitipoca torna-se mais acessível aos cadeirantes. No último dia 21 de janeiro, foram inauguradas as “Juliettes“, cadeiras que serão utilizadas pelas pessoas portadoras de deficiência nas visitas aos roteiros do parque, como o da Janela do Céu e do Pico do Pião, por exemplo. Na foto, o casal que desenvolveu o projeto da Juliette, Guilherme Cordeiro, à frente, e a esposa Juliana Tozzi.

As cadeiras são frutos de uma iniciativa proposta pela ONG “Montanha Para Todos”, em 2017, que está presente em cerca de 26 destinos de 14 estados do país. Guilherme Simões Cordeiro, um dos organizadores do projeto, destaca que a ideia surgiu após uma doença que acabou afetando a mobilidade de sua esposa, Juliana Tozzi. A partir daí, ele passou a observar a necessidade que outras pessoas tinham em conhecer lugares de difícil acesso.

A Julietti, como foi batizada, é uma cadeira composta por uma única roda, que facilita o acesso desses turistas a ambientes de difícil acesso e proporcionam a portadores de deficiência uma experiência única para aproveitar a natureza. O equipamento, que é conduzido por dois puxadores, possui um banco com cinto de segurança, garantindo comodidade ao visitante.

PRAÇA DA MATRIZ: A Paróquia Nossa Senhora da Conceição, no centro da Vila, foi fundada em 18 de janeiro de 1820.

Hoje, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 6,2% da população brasileira possui algum tipo de deficiência. A acessibilidade é uma preocupação constante do Ministério do Turismo. Uma das ações desenvolvidas é o Programa Turismo Acessível, que realiza ações voltadas à promoção da inclusão social e do acesso de pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida em atividades turísticas. Nos últimos anos, foram mais de R$ 75 milhões de investimentos em obras de acessibilidade, apoio à qualificação e capacitação de profissionais para atender turistas com deficiência.

Para o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, histórias como essa incentivam ainda mais o trabalho para o desenvolvimento da acessibilidade do setor turístico no país. “É gratificante ver iniciativas como essas, que dão a oportunidade aos portadores de deficiência motora de conhecerem as belezas naturais que o nosso país possui. Nosso Turismo é para todos, e é para isso que continuaremos trabalhando ainda mais essa ideia em nossa gestão”, finalizou.

Destinos ‘acessíveis’

Além do Parque Estadual da Ibitipoca, o país possui outros destinos que são referência para o turismo acessível. Socorro (SP), por exemplo, é referência internacional no assunto. Localizada a 145 quilômetros da capital paulista, a cidade é considerada um dos melhores destinos para se receber pessoas com mobilidade reduzida. Por meio do projeto “Socorro Acessível”, os turistas que por lá passam contam com sinalização tátil, elevadores, rampas e barras nos pontos turísticos.

Outro ponto em destaque é o Bosque da Ciência, localizado em Manaus (AM). O local oferece, desde o ano passado, visitas autoguiadas para deficientes auditivos. O turista surdo vai recorrer ao Giulia, um aplicativo para smartphones que faz a leitura em Libras dos QRCodes dos pontos turísticos.

De acordo com os responsáveis pelo local, o objetivo é romper as barreiras e dar acessibilidade aos espaços públicos de turismo e lazer, garantindo a participação plena e efetiva da pessoa surda em condições de igualdade na sociedade

A Julietti, também, está presente para quem visita o Parque Nacional da Chapada dos Guimarães, em Mato Grosso. A cadeira permite acessibilidade de cadeirantes até o mirante da Cachoeira Véu de Noiva, atrativo mais visitado do local. Quem for às Cataratas do Iguaçu não contará com a Julietti mas terá, também, toda a estrutura de acessibilidade. Rampas, elevadores e até uma espécie de bondinho transformaram uma das principais atrações do parque, o Macuco Safári, em um dos mais novos atrativos acessíveis no Brasil.

Onde ficar:

Serra do Ibitipoca Hotel e Lazer

LAZER: O lazer pode ser apreciado nas piscinas, adulto e infantil, em área aberta; no spa coberto com piscina com hidro e aquecida ou na sauna, além de outros itens.

O Serra do Ibitipoca Hotel de Lazer é um pequeno hotel de montanha instalado em uma área de reserva particular nas montanhas de Minas Gerais, em Conceição do Ibitipoca. A proposta é que os hóspedes possam interagir com a natureza sem abrir mão do conforto.

As instalações em chalés que acomodam famílias com até cinco pessoas estão classificadas em quatro categorias de conforto. As 28 unidades distribuídas ao longo da encosta, rodeada por natureza proporciona uma vista tranquila e abundante do entorno.

CONFORTO: As suítes dos chalés estão classificadas em quatro categorias de conforto. São 28 unidades distribuídas ao longo da encosta, rodeada por natureza proporciona uma vista tranquila e abundante do entorno, além de muito conforto.

Aliadas a esse cenário estão a ‘marca registrada’ do mineiro: hospitalidade e boa gastronomia. O restaurante é um dos pontos altos do hotel, onde o chef mantém receitas regionais de quitutes e pratos típicos.

BOA GASTRONOMIA: O restaurante é um dos pontos altos do hotel, onde o chef mantém receitas regionais de quitutes e pratos típicos. A rabanada é um dos destaques no café da manhã.

O hotel oferece como lazer, piscina adulto e infantil em área aberta, uma área spa coberta com piscina com hidro e aquecida e sauna, salão de jogos, sala com TV com canais telecine, quadra de grama para vôlei ou peteca e playgroud.

Interação

Hospedar-se em uma área de reserva particular tem suas vantagens: os passeios por trilhas internas dentro da área do hotel, que remetem à tranquilidade e à interação com a natureza. Como serviços opcionais o Serra do Ibitipoca dispõe de ofurô e arvorismo.

OFURÔ: Além de todos os itens de conforto presentes na área de lazer, há o serviço opcional de ofurô e arvorismo.

Como bons mineiros, o luxo está na simplicidade, no cuidado e na experiência que proporciona aos hóspedes, tudo com um charme pra lá de especial. A fauna encontrada na região inclui espécies ameaçadas de extinção, como a onça parda, o lobo guará e o primata guigó. Enquanto as características da flora e da mata atlântica e um pouco do cerrado mineiro, podem ser vistos em orquídeas, bromélias, candeias, líquens e samambaias. Informações: https://www.serradoibitipoca.com.br/ e (32) 32381-8148 e (32) 9 9 8404-2885 (WhatsApp).

NATUREZA: Flora exuberante no entorno do Serra do Ibitipoca Hotel, onde é possível apreciar um pouco do cerrado mineiro com orquídeas, bromélias, candeias, líquens e samambaias.

Pousada Janela do Céu

Decorada em estilo rústico e ornamentada com móveis e objetos de época, além de peças de artesanato local, retratando o dia a dia dos antigos moradores, a Pousada Janela do Céu mostrar hospitalidade logo de cara, uma característica marcante do povo mineiro, mas ao mesmo tempo expõe a simplicidade do vilarejo de Conceição de Ibitipoca.

Com apartamentos compactos, práticos, aconchegantes e confortáveis – as roupas de cama são completas, com produtos Buddemeyer e cheirinho gostoso de roupa limpa e bem cuidada.

BÃO DIMAIS: Além da natureza exuberante, o hóspede pode aproveitar a confortável rede para refletir e relaxar.

O atendimento é personalizado, com simpáticos recepcionistas de Ibitipoca, que foram capacitados e treinados para estender aos nossos clientes o mesmo carinho e atenção que nos propomos a oferecer.

Conscientes do papel na preservação do planeta, a Janela do Céu utiliza fossas sépticas e possui sistema de aquecimento a gás, que melhora a qualidade dos banhos e proporciona um banho mais gostoso e água quentinha nas torneiras.

CAFE COLONIAL: A gastronomia de Ibitipoca não poderia ser diferente de outros destinos mineiros: é um dos diferenciais da Vila

A pousada não tem piscina em sua estrutura por uma questão de filosofia pessoal, pois estudos recentes desenvolvidos por órgãos ambientais apontam que o cloro utilizado na água, muitas vezes em dosagens acima da média, causa danos à natureza, matando plantas, animais e pássaros que se utilizam da água para beber ou banhar-se. E como no parque há muitas piscinas naturais, não vemos justificativa para termos uma artificial aqui na pousada.

Por outro lado, a pousada tem um Day Spa, com sauna seca, sauna a vapor e uma sala privativa de banho japonês ofurô para o relaxamento dos hóspedes, que é equipada com uma banheira extra-grande, com hidromassagem e capacidade de armazenar 2.500 litros de água quente na temperatura correta para o bem-estar, relaxamento e um confortável banho para duas pessoas.

A Pousada Janela do Céu está localizada em meio à natureza, na histórica vila de Conceição de Ibitipoca, acima da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição, datada de 1692, no ponto mais alto do vilarejo, onde existe uma pequena infraestrutura de restaurantes, artesanatos e bares. Informações: http://www.janeladoceu.com.br/ e (32) 3281-8118 (32) 98401-9629 (WahtsApp).

PROSA e FOGUEIRA: As noites frias, quase sempre presentes na Vila, são aquecidas por boa prosa e fogueira.

Como chegar:

Saindo de São Paulo, adentre a Via Dutra (BR-116) e siga até Cachoeira Paulista; depois continue no sentido Sul de Minas/Circuito das Águas até a cidade de Caxambu (MG). Lá, pegue a rodovia BR-267 e siga até Lima Duarte (MG). Finalmente, para chegar até Conceição do Ibitipoca, são mais 27 quilômetros, sendo parte deste trecho feito por uma estrada de terra; e, de lá são mais quatro quilômetros até a portaria do parque.

Dicas bem úteis

  • Chegue mais cedo nos feriados e fins de semana para garantir sua entrada. Os ingressos são limitados por dia;
  • Os ingressos são vendidos somente no dia da entrada e na portaria do parque. Não há venda antecipada;
  • O parque não funciona às segundas-feiras, exceto quando coincidir com algum feriado ou recesso;
  • Não é permitida a entrada de animais de estimação;
  • É proibida a prática de esportes radicais dentro da reserva;
  • As vagas de estacionamento do parque são limitadas. A capacidade fica a critério da gerência da unidade;
  • Em dias úteis, o ingresso tem o valor de R$ 10,00. Já aos sábados, domingos e feriados o valor é de R$ 20,00. Informações: (32) 3281-1101.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui