Blitz da PRF flagrou dezenas de motoristas dirigindo sob o efeito de álcool.

Há dez anos surgia o primeiro modelo de fiscalização para inibir motoristas que tinham o hábito de beber e dirigir. Criado pela Trânsito Amigo, entidade de vítimas, dificultava qualquer irregularidade porque reunia diversas esferas do Governo do Estado do Rio de Janeiro e vítimas de acidentes. Assim fechava a porta para o “Você sabe quem está falando?”. Depois de uma década, são poucas cidades no Brasil com esse tipo de fiscalização. A nível nacional somente a Polícia Rodoviária Federal conseguiu implantar a fiscalização, naturalmente com um modelo diferente.

“O nome Operação Lei Seca é inadequado porque ninguém é proibido de beber mas sim dirigir sob efeito de álcool”, observa Rodolfo Rizzotto, Coordenador do SOS Estradas . Ouça o comentário dele sobre a legislação e o que é preciso fazer para que cada vez menos vidas sejam perdidas em acidentes causados por condutores alcoolizados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui