PREVENÇÃO: Mesmo em situação de pane no veículo às margens da rodovia, é preciso ter cuidado ao caminhar pelo acostamento até encontrar um telefone de emergência para pedir socorro. Todo cuidado é pouco quando se trata de rodovia, onde a velocidade é maior em relação ao trânsito urbano. Foto: Divulgação/CART

De acordo com a concessionária responsável, o aumento foi 24%, entre 2017 e 2018; para reduzir atropelamentos, empresa desenvolve ações de conscientização

A concessionária responsável pelo Corredor Raposo Tavares fez um levantamento, no qual mostra o crescimento de pedestres às margens das rodovias sob sua administração.

De acordo com a empresa, essa constatação vem acompanhada por outra: a do risco de atropelamentos. Ainda de acordo com a concessionária, o aumento é de 24% nas rodovias, com 392 e 487 registros, respectivamente, em 2017 e 2018.

Por conta disso, a concessionária implementou o programa Atitude Segura e Gentileza, do Instituto Invepar, que atua estrategicamente em áreas mapeadas com o objetivo de ampliar a segurança dos caminhantes e motoristas.

De acordo com os dados do Centro de Controle de Operações (CCO), somente entre janeiro e maio deste ano foram registradas 225 ocorrências, ante 205 somadas em igual período do ano passado – aumento verificado de 9,7%.

Ainda segundo a empresa, de todo o período analisado, os meses de maio de 2019 e julho de 2018, foram os que concentraram os picos nos atendimentos e abordagens a pedestres nas rodovias, com 77 e 67 registros, respectivamente.

Riscos inerentes

Entre os 34 municípios por onde passam rodovias administradas pela concessionária, cinco correspondem a quase 50% dos registros de abordagens a pedestres – são eles Santa Cruz do Rio Pardo, Piratininga, Caiuá, Assis e Santo Anastácio.

De acordo com a concessionária, os horários em que há maior demanda são pela manhã, das 9h às 11h, e à noite, 19h às 20h.

O ato de caminhar próximo à rodovia amplia o risco de acidentes, que pode acarretar em fatalidades. Pedestres e motoristas devem redobrar os cuidados quando transitam por um perímetro urbano.

Segundo a empresa, é preciso respeitar as placas de sinalização e as orientações de segurança fornecidas em cada trecho. Outro detalhe a ser observado é o uso das passarelas.

A dica da concessionária é que o pedestre, ainda que aumente o tempo de caminhada, deve sempre utilizar as passarelas e os viadutos para atravessar de um lado para o outro da via. Praticar exercícios às margens da estrada é muito perigoso e deve ser evitado

De acordo com a Polícia Militar Rodoviária (PMRv), em qualquer período do ano o trabalho voltado a esse público é constante, no sentido de orientá-los sobre a prática, que é arriscada à sua integridade física.

Ainda de acordo com a PMRv , a iniciativa da concessionária CART, de instruir e contribuir com o encaminhamento de pessoas nessas condições ao serviço social do município mais próximo, tem contribuído para a redução de ocorrências envolvendo os pedestres.

Iniciativas

Entre o conjunto de iniciativas que a concessionária desenvolve para atenuar os riscos de acidentes envolvendo pedestres está a entrega de coletes refletivos a caminhantes, que permitem sua visualização a longas distâncias por motoristas, especialmente no período noturno. De 2017 até maio deste ano foram entregues mais de 180 acessórios.

Além da capacitação dos operadores de atendimento viário nas abordagens de pedestres, a empresa mantém contato com as casas de passagens regionais com o objetivo de assegurar o acolhimento de pedestres em situação de risco social.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui