AUTO-SUFICIENTE: A Scania ,e a Siemens se uniram para desenvolver um caminhão ecológico, capaz de extrair energia até das rodovias onde trafega. Foto: Divulgação

Caminhão possui um receptor acoplado acima de sua cabine que lhe permite acessar essas linhas e, assim, continuar trafegando sem qualquer queima de combustível

A sustentabilidade ambiental está pavimentando, literalmente, a sua estrada na indústria. A Scania, montadora sueca de veículos pesados, e a Siemens, gigante alemã de engenharia, se uniram para desenvolver um caminhão ecológico, capaz de extrair energia até das rodovias onde trafega.

Na terça-feira (7), o veículo híbrido fez alguns testes em um trecho de 10 quilômetros de uma rodovia na porção sul de Frankfurt, Alemanha. Esse trecho foi adaptado com linhas suspensas de energia elétrica, uma tecnologia criada pela Siemens em 2012, batizada de eHighway. O caminhão possui um receptor acoplado acima de sua cabine que lhe permite acessar essas linhas e, assim, continuar trafegando sem qualquer queima de combustível. Um sistema parecido com os utilizados por bondes e trens.

Mais do que poupar a atmosfera com a queima de diesel e outros derivados do petróleo, o veículo ainda traz vantagens em relação aos similares elétricos. Por conseguir energia ao longo da estrada, o caminhão não precisará fazer paradas para ser recarregado, o que economizará tempo nas viagens.

Infraestrutura

Porém, para que o uso do caminhão seja viável em larga escala, será necessário que boa parte das malhas rodoviárias espalhadas pelo mundo também ofereçam estruturas eHighway. Um problema que parece estar sendo resolvido, pelo menos na Alemanha.

As autoridades de transporte do país estão avaliando os resultados dos primeiros testes para introduzir as linhas suspensas em suas estradas. Outras demonstrações da tecnologia já haviam sido realizadas na Suécia e nos Estados Unidos, embora em trechos menores.

Os investimentos do Governo se justificam. Os caminhões híbridos e as rodovias eHighway ajudariam a Alemanha em seu compromisso de reduzir drasticamente as emissões de dióxido de carbono. Compromisso assumido junto às Organizações das Nações Unidas (ONU). O país pretende diminuir em 80% essa emissão até 2050.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui