Agentes da Polícia Federal(PF) de Presidente Prudente apreenderam na madrugada de ontem, 226 quilos de crack em uma carreta na Rodovia Raposo Tavares, em Assis, no interior de São Paulo. A carreta, com placa de Ponta Porã (MS), transportava 32 toneladas de açúcar. Preso em flagrante, o motorista confessou que ganhou o caminhão dos traficantes como pagamento pelo transporte de drogas.

A droga era transportada em um dos tanques de combustível, adaptado com dois compartimentos. “Um (compartimento) leva o óleo diesel, o outro, seco, transporta drogas”, explicou Eder Magalhães, de 37 anos, delegado titular da PF de Presidente Prudente.

O delegado admite a participação do crime organizado, que teria contratado o motorista. “Há uma organização por trás disso, pode ter o envolvimento direto do PCC (Primeiro Comando da Capital) desde a origem até o destino final da droga”, afirmou. Pelos serviços prestados, o motorista, de 47 anos, ganhou a carreta de presente dos traficantes. “Ele recebeu a carreta como pagamento”, disse o policial, explicando que o acusado negou pertencer a qualquer facção.

Destino da droga

O motorista, que não teve o nome divulgado, pegou os 200 tabletes de crack em Ponta Porã, em Mato Grosso do Sul. “Ele tinha como destino o porto de Santos. Pode ser que a droga seria exportada”, avalia o delegado, que não descarta novas prisões. Depois de ser ouvido, o caminhoneiro foi transferido para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Caiuá. O açúcar apreendido será devolvido à usina que embarcaria a carga no porto de Santos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui