O Estradas.com.br fez uma pesquisa como 324 caminhoneiros que informaram o valor da diária que ganham para pagar café da manhã, almoço, lanche, jantar, banho e estacionamento. Na pesquisa não foram considerados os casos de quem alega não receber nada. Na média os motoristas recebem em torno de R$ 41,00 para todas as despesas citadas.Os valores variam entre R$ 15,00 e R$ 90,00. Mas a grande maioria recebe entre R$ 25,00 e R$ 35,00 ( 63%).

Não existe no Brasil categoria profissional que receba em viagem valor tão baixo. Por isso o “restaurante” de muitos caminhoneiros é igual da foto. O companheirismo é muito positivo mas é preciso dar dignidade a esses profissionais. E nesse caso não está incluída a “hospedagem”, que no caso dos caminhoneiros é a cabine, onde aliás passam a madrugada cuidando também da carga e do veículo.

Curiosamente os movimentos que diziam defender o interesse dos caminhoneiros nunca colocaram o tema da diária em pauta. Pelo que apuramos, a diária deveria ser no mínimo de R$ 90,00 e cobrada do embarcador, do dono da carga, assim como está previsto para o pedágio. Com valores assim, seria viável criar estacionamentos seguros nas rodovias, pois os postos poderiam cobrar e o caminhoneiro pagar.

Alimentação na estrada

Da mesma forma, viabilizar pequenas pousadas e alojamentos até nos próprios postos, com uma cama para que o motorista tenha condições mínima de descanso. São raras as empresas que pagam por isso mas já existem. Agora, além da tendência de diminuírem o valor da diária, em função da queda do valor do frete, ainda criaram uma lei que criou a possibilidade de dois motoristas dirigirem por até 72h revezando num caminhão em movimento. Enquanto um dorme (e sem cinto) o outro dirige. Mais uma vez perguntamos, por que os movimentos que dizem defender o interesse dos caminhoneiros aprovaram isso e nunca questionaram esse absurdo?

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui