A agência Aktuellmix, em parceria com a ONG Trânsito Amigo, acaba de lançar uma campanha para conscientizar e estimular o uso do cinco de segurança nos bancos traseiros. “Eu Cinto a Vida” é um movimento sem fins lucrativos pautado na realização de um experimento social e foi sugerido após a repercussão da morte do cantor Cristiano Araújo e sua namorada, em que ambos estavam sem cinto de segurança.

Divulgação

Uma capa será colocada nos bancos dianteiros de táxis e simulará o painel de um carro voltado para os passageiros e carregará a seguinte mensagem: “se fosse no banco da frente, você já estaria de cinto”. Uma câmera escondida registrará a atitude das pessoas com e sem a presença da capa e, a partir disso, um videocase será gerado e divulgado nas redes sociais.

Mídias tradicionais veicularão e divulgarão o movimento e, para gerar engajamento popular por meio da interação social, as mídias digitais também serão utilizadas: tudo com o uso da hashtag #EuCintoAVida. Além disso, para repercutir e ampliar a mobilização social, o movimento contará com o apoio de diversas celebridades –Bruno Gagliasso, Daniele Suzuki e Giovanna Ewbank, entre outros.

A ação será lançada no dia 5 de maio, em comemoração ao Dia Mundial do Trânsito. A capa será distribuída para motoristas de táxis, Uber e ônibus de viagem a partir desta data.

Desde os anos 90, quando a Lei n° 9.503 passou a obrigar a utilização de cintos nos bancos dianteiros, tal ato tornou-se um hábito para os brasileiros. Isso, no entanto, não aconteceu com os bancos traseiros e, segundo dados de 2014 da Agência de Transporte do Estado de São Paulo (ARTESP), 69% das pessoas que sofrem acidente no banco de trás morrem por não usarem cinto. A intenção do movimento, portanto, é reeducar a sociedade brasileira, mostrando que a ausência de cinto nos bancos traseiros pode ser tão fatal quanto nos bancos da frente.

Fonte: PropMark

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui