O Consórcio Planalto, que venceu nesta quarta-feira (18) o leilão de concessão da rodovia BR-050 com uma proposta de tarifa de pedágio 42,38% menor que o teto estabelecido pelo governo, pretende dar início à cobrança de pedágio já no próximo ano. Pelas regras do edital, a cobrança só pode ter início quando 10% das obras de duplicação estiverem concluídas.

Com a proposta de tarifa básica de pedágio de R$ 0,04534 por km, o consórcio ofereceu um deságio [desconto] de 42,38% sobre o valor máximo previsto.  Agora, a proposta ainda terá de ser analisada antes da confirmação do vencedor.

“Temos expectativa, estamos trabalhando com isso (de entregar 10% das obras no primeiro ano)”, disse Letícia Queiroz de Andrade, sócia do escritório Siqueira Castro e assessora jurídica do consórcio vencedor. “O contrato inclusive prevê incentivos caso você consiga esses investimentos antes do tempo mínimo fixado”, comentou.

De acordo com Letícia, a concessionária deve assumir a rodovia em dezembro, após a assinatura do contrato. “Antes disso, porém, já vamos iniciar os projetos”, disse.

Na breve apresentação que fez após vencer o leilão, Carlos Eduardo Prado, gestor do consórcio, disse que a expectativa é “corresponder com bons serviços, boa qualidade, traduzindo em melhoria para a população e em desenvolvimento para o país”. Antes disso, perguntando pelos jornalistas se o grupo pretende incluir uma operadora para gerir a rodovia, ele disse que “tudo pode acontecer”, emendando, na sequência, que “acha muito difícil agregar alguém, a ideia nossa é levar isso com a gente”.

Os representantes do consórcio Planalto destacaram que ainda há um período em que os concorrentes podem apresentar recursos. “Depois, temos 20 dias úteis para adotar uma série de providências, como constituir uma concessionária em si, pois ainda somos um consórcio. Temos também que apresentar as garantias de que vamos cumprir o contrato”, detalhou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui