PERIGOS: Caminhar ou pedalar em rodovias é mais perigoso do que se imagina. Fotos: Divulgação

De acordo com a Entrevias, alerta inclui orientar usuários para reduzir os riscos de acidentes com pedestres, ciclistas e andarilhos

Um problema constante nas rodovias brasileiras é a presença de pedestres em meio ao tráfego de veículos, que inclui as bicicletas. O que se nota, de acordo com o levantamento da concessionária Entrevias é a falta de cuidados de pedestres, andarilhos e ciclistas, seja de dia ou à noite.

Segundo a empresa, além do deslocamento por conta do trabalho, há casos que envolvem ciclistas, que desconhecem os trechos e as característica do tráfego em vias rápidas, além de moradores que utilizam as vias para caminhadas, prática que é contraindicada até mesmo pelo aspecto da saúde, já que a presença contínua de veículos libera grande quantidade de monóxido de carbono.

De acordo com o levantamento da concessionária, as presenças mais frequentes de pedestres ocorre nos Anéis Viários Sul e Norte, próximo às áreas mais urbanizadas. Em Marília, a recorrência maior é na Rodovia Comandante João Ribeiro de Barros (SP-294).

De acordo com o gerente de Operações da Entrevias, Jorge Baracho, não se deve caminhar em rodovias, e que assim como os demais usuários, o pedestre e ciclista também são integrantes do trânsito e estão submetidos a legislações específicas. “Rodovia não é lugar de pedestre, mas se em último caso isso for necessário, a orientação é somente andar se houver acostamento e no sentido normal do fluxo dos veículos. Redobrar a atenção e utilizar roupas claras. Evitar celulares e fones de ouvido porque podem causar distração.”, reforça.

Considerando todo o trecho operado pela concessionária, 570 quilômetros, o Volume Diário Médio (VDM) é de 120 mil veículos, entre caminhões, carros e motos. Algumas medidas simples de segurança podem ajudar a deixar mais seguro o caminho de ciclistas, como evitar pedalar próximo de ônibus e caminhões ou disputar espaço com veículos, usar equipamentos de segurança obrigatórios, roupas claras ou coloridas e luzes dianteiras e traseiras nas bicicletas também contribuem para que o ciclista seja mais facilmente percebido.

ANDARILHOS: Na região de Marília, a empresa flagrou, no ano passado, 62 pessoas caminhando pelas rodovias da região, principalmente, ao longo da SP-333.

Itinerantes

O trecho sob concessão da empresa também é caminho para andarilhos que se deslocam entre cidades e bairros. Foram contabilizadas 175 ocorrências desse tipo nas estradas de Ribeirão e região em 2019. O registro é aberto sempre que a empresa presta algum tipo de atendimento, orientação ou utiliza ainda algum recurso operacional. A presença deles é observada pelas câmeras de monitoramento e por meio de abordagens de operação (viaturas que percorrem o trecho).

Ao identificar risco iminente com a presença do andarilho próximo à faixa de domínio, seja contra a própria vida ou como ameaça de acidente, a concessionária atua orientando e, se necessário, aciona a polícia e faz a remoção dele para instituições assistenciais.  No entorno de Ribeirão Preto, a presença deles é mais recorrente na Via Anhanguera (SP-330). Na região de Marília, foram 62 ocorrências de tipo em 2019, principalmente ao longo da SP-333.

“Nosso objetivo é reduzir o número de acidentes, com boas práticas de segurança. Nessas abordagens damos orientações para que não fiquem vulneráveis ou coloquem terceiros em risco. Caso apresentem algum problema de saúde, um distúrbio psiquiátrico ou tenham feito uso abusivo de álcool, a viatura os encaminha para a assistência social da cidade mais próxima”, completa Jorge Baracho.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui