Depois de fechar e abrir, refechar e reabrir várias vezes, em uma espécie de ioiô impulsionado por decisões técnicas, às vezes políticas e outras jurídicas, neste domingo (25/11) os dois cruzamentos da BR-376 na área urbana de Sarandi, Kms 182 e 183, serão, em tese, definitivamente fechados.

A partir das 8 horas de hoje, a Viapar deverá providenciar o fechamento e a Prefeitura de Sarandi o desligamento dos dois semáforos, com o auxílio de forças de segurança. Mas antes disso, no finalzinho da tarde desta sexta-feira (23/11), um grupo de moradores da região promete novo protesto no local.

O ioiô foi lançado em novembro de 2017, quando um pedido da Polícia Rodoviária Federal (PRF) ao Departamento de Estradas de Rodagem no Paraná (DER-PR) foi atendido e os cruzamentos fechados. A PRF apresentou levantamento com números de mortes e acidentes nos cruzamentos.

O fechamento desagradou a população de Sarandi. A cidade, sem os cruzamentos, ficou ainda mais dividida pela BR-376 e dificultou a vida de boa parte da população, tanto de quem reside nos bairros próximos aos cruzamentos quanto de quem diariamente vem trabalhar em Maringá.

Em dezembro do mesmo ano, por interferência política da governadora Cida Borghetti (PP), atendendo à reivindicação do prefeito de Sarandi Walter Volpado (PSDB), os cruzamentos foram reabertos. A partir daí a questão foi judicializada e, ao sabor dos despachos, voltou a ser fechado, aberto, fechado…

Desta vez, o fechamento se deu por meio de acordo entre a Prefeitura de Sarandi e o Ministério Público Federal, firmado em 21 de setembro, e o DER-PR promete, já na segunda-feira (26/11), dar início à construção de uma agulha de acesso da marginal à BR-376, no Km 182, para facilitar o retorno.

Em nota, o DER-PR informa que não construiu a agulha antes porque o local  coincide com o cruzamento, onde há um dos semáforos em operação. Embora, segundo o DER-PR, o acordo não condiciona a realização de obras no local, está em estudo a construção de um viaduto sobre a Avenida Inglaterra.

O DER-PR também sugeriu alterações nos sentidos de vias próximas aos dois cruzamentos para reduzir o impacto no fechamento na vida dos moradores da região. A assessoria de imprensa da Prefeitura de Sarandi informou nesta sexta-feira que as eventuais alterações serão decididas após os bloqueios.

“Quando ocorreram os primeiros fechamentos, nós tornamos a Avenida Brasil mão única. Agora vamos analisar o comportamento da população, a partir da construção da agulha, para ver o que será necessário e possível ser feito”, disse o assessor de Comunicação da prefeitura, Anderson Pompeu.

Os maiores impactos, com o que deve acabar com o ioiô, deverão ser nas avenidas Montreal, que tem mão dupla, escoa o trânsito próximo ao viaduto do Contorno Norte e pode se tornar mão única, e Rio de Janeiro, de mão única no sentido bairro-centro, disse Pompeu.

– Temos que aguardar e esperamos que o DER faça a agulha já. 

Fonte: www.maringapost.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui