MEDIDA CAUTELAR: Os deputados que formam a Frente Parlamentar sobre o Pedágio da Alep decidiram, na quinta-feira (4), entrar com um pedido de concessão de medida cautelar no Tribunal de Contas da União (TCU) para que o processo licitatório de concessão das rodovias do estado seja suspenso. Foto: Divulgação

De acordo com os  parlamentares, a licitação deve ser feita pelo modelo de menor preço de tarifa

Os deputados que formam a frente parlamentar sobre o pedágio da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) decidiram, na quinta-feira (4), entrar com um pedido de concessão de medida cautelar no Tribunal de Contas da União (TCU) para que o processo licitatório de concessão das rodovias do estado seja suspenso.

Para os deputados, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) não tem legitimidade para realizar audiências públicas, consultas e a licitação para concessão de rodovias no Paraná. Caso o TCU não suspenda a licitação do pedágio, os parlamentares prometem entrar na justiça para tentar barrar o modelo híbrido.

Os deputados defendem que a licitação seja feita pelo modelo de menor preço de tarifa, em que ganha a empresa que oferece o menor valor para garantir a manutenção das rodovias.

Já no modelo proposto pelo Ministério da Infraestrutura, o edital já define de partida um desconto máximo no valor do pedágio. Em caso de empate, leva o leilão quem pagar mais ao governo. Os deputados entendem que o modelo não é vantajoso.

Fonte: Paiquerê FM News

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui