A presidenta Dilma Rousseff disse, em entrevista às rádios gaúchas Bandeirantes AM e Cultura Riograndina que o governo federal fará obra pública em rodovias quando não for possível unir as necessidades do empresário, de lucro; e as da população, de uma tarifa de pedágio mais baixa. A presidenta se referiu a estradas do Rio Grande do Sul que estão com concessão se encerrando, quando disse que iria reanalisar uma a uma.

“Não há como fazer concessão se o empresário não tiver remuneração. De um lado, ele quer lucro alto. De outro, a população quer pedágio baixo. Quando for prático, concreto e efetivo unir as duas coisas, nós vamos unir. Quando não der, vamos fazer obra pública”, afirmou Dilma.

Segundo Dilma, as concessões trazem vantagens, como rapidez e manutenção constante, mas destacou que o modelo será diferente do adotado no passado, antes de 2003, quando as rodovias eram concedidas apenas para serem administradas e cuidadas, sem a previsão de obras para duplicação, por exemplo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui