ADIADO: Eco135 acaba de anunciar o adiamento do reajuste das tarifas de pedágio da BR-135 e LMG-754, que ocorreria nesta quarta-feira (1°/4). Foto: Divulgação

Concessionária acaba de anunciar medida diatenda atual situação em que o Brasil vive

Considerando o atual cenário causado pela pandemia de COVID-19, a Eco135, concessionária de rodovias no Norte de Minas Gerais, em conjunto com a Secretaria de Estado de Infraestrutura e Mobilidade (Seinfra) – órgão responsável pela fiscalização do contrato -, decidiu postergar o reajuste tarifário anual que ocorreria nesta quarta-feira (1º/4, conforme previsto no contrato de concessão. O adiamento terá a duração de 90 dias.

A tarifa de pedágio vigente no lote administrado pela Eco135 seria corrigida segundo a variação da inflação medida pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) acumulada nos últimos 12 meses que, entre março/2019 e fevereiro/2020, foi de 4,01%. Este seria o primeiro reajuste desde que a concessionária assumiu a concessão em julho de 2018.

Assim, a tarifa básica praticada desde abril do ano passado nas cinco praças da BR-135 e uma na LMG-754 permanecerá R$ 7,20 para veículos de passeio e o mesmo valor por eixo para veículos comerciais.

A Eco135 ressalta que seguirá cumprindo os compromissos assumidos no contrato de concessão em entendimento com o poder concedente.

Obras e investimentos

Desde julho de 2018, quando assumiu a concessão do Lote BR-135, a Eco135 já investiu R$ 189 milhões que podem ser percebidos pelos usuários na melhoria do aspecto geral da rodovia, como limpeza, asfalto, sinalização e prestação de serviços de socorro médico e mecânico 24 horas.

A concessionária também tem realizado diversas ações de segurança viária e tem colhido resultados. Com as ações do PRA (Programa de Redução de Acidentes) foi reduzido em 56% o número de acidentes nos 12 pontos com maior incidência de ocorrências. O Carnaval em 2020 foi mais seguro que no ano passado, com 67% menos feridos e nenhuma morte.

Os benefícios que a concessão traz para a região atendida podem ser medidos também pela geração de receita para os municípios em forma de impostos. Entre abril e dezembro de 2019, a Eco135 repassou R$ 7,2 milhões em ISSQN proveniente da arrecadação do pedágio, recurso que reforçou o caixa das prefeituras, possibilitando novos investimentos em diversas áreas dos governos municipais.

O início das obras de duplicação de 136 quilômetros da BR-135, previsto para julho deste ano, ainda depende de uma melhor definição do cenário da COVID-19. O prazo contratual para conclusão da duplicação é junho de 2023.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui