Eles estão mais inteligentes e poderão acabar com a viagem até de quem dirige dentro do limite de velocidade nas rodovias gaúchas. Por enquanto, estão funcionando em sete locais, mas deverão alcançar 13 daqui a 60 dias. Motorista, prepare-se para conviver com uma nova geração de pardais. Apenas tirar o pé do acelerador não será o suficiente.

Os novos equipamentos começaram a ser instalados em maio nas rodovias estaduais. São agentes eletrônicos de fiscalização que complementam o trabalho do Comando Rodoviário da Brigada Militar. Cada carro que passa pelo pardal tem sua placa lida e comparada com o banco o dados. Caso o veículo esteja em ocorrência de roubo ou furto ou com o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) atrasado, poderá ser abordado.

Os responsáveis pela autuação serão os policiais rodoviários. Os equipamentos estão próximos a postos do batalhão. Lá, em um monitor, são mostrados instantaneamente os dados registrados pela câmera.

“Esses pardais inteligentes ficam distantes um ou dois quilômetros dos postos policiais. O agente em frente ao monitor poderá esperar o carro chegar ou acionar uma viatura. É uma blitz inteligente”, explicou o coordenador de Trânsito do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer), Emir Masiero.

Mas, apesar de funcionar 24 horas, o pardal inteligente não estará sob a atenção do policial todo o tempo. Cada posto, diz Masiero, estabelece sua rotina para esse tipo de fiscalização. Os demais equipamentos, mesmo sem ler as placas, também evoluíram. Agora, enviam as imagens para a central de processamento do Daer, em Esteio. Não é mais necessário buscar as gravações.