MULHERES: Mesmo com cerca de 26 milhões de condutoras no Estado, o número de acidentes causados por mulheres teve um percentual 16 vezes menor do que dos homens neste período. Os homens representam 60% dos motoristas no estado. Foto: Divulgação

De acordo com o Infosiga, total de ocorrências com mulheres, no Estado de SP, é 16 vezes menor do que com homens

Apenas 6,3% dos acidentes de trânsito no primeiro trimestre de 2020 no Estado de São Paulo aconteceram com mulheres na direção, de acordo com o levantamento da Infosiga SP.

Mesmo com cerca de 26 milhões de condutoras no Estado, o número de acidentes causados por mulheres teve um percentual 16 vezes menor do que dos homens neste período. Os homens representam 60% dos motoristas no estado.

Outro dado divulgado pelo estudo é de que apenas 26% das Carteiras Nacionais de Habilitação suspensas nos primeiros três meses deste ano no Estado de SP pertenciam a mulheres. “As mulheres são muito mais cautelosas no trânsito, o que é uma importante notícia”, afirma Ernesto Mascellani Neto, presidente do Detran.

Em um dado do estudo sobre o número de acidentes com vítimas fatais em janeiro, fevereiro e março de 2020, é possível notar que 84,5% foram com homens à frente do volante, enquanto apenas 15,5% aconteceram com mulheres na condução.

“Reduzir o número de acidentes, que em sua maioria são motivados por falha humana, é vital para o Detran SP. Por isso seguimos investindo em ações e campanhas educativas para todos os motoristas, independentemente do gênero”, completa Ernesto.

Além disso, considerando apenas os casos fatais, as mulheres na maioria das vezes não estavam dirigindo o veículo: 39,4% eram passageiras, 31,9% eram pedestres e somente 28,7% eram condutoras.

O levantamento realizado faz parte da campanha do Outubro Rosa do Detran SP, na qual a entidade busca conscientizar a população sobre a importância da prevenção do câncer de mama, inclusive com palestras sobre saúde e empoderamento feminino.

DPVAT confirma baixa participação das mulheres nos acidentes

O estudo “Mulheres no Trânsito” mostra que, em 2019, das mais de 353 mil indenizações pagas por acidentes de trânsito, apenas 25% foram destinadas às vítimas do sexo feminino. Se considerados apenas os pagamentos por acidentes fatais, a diferença entre os sexos é ainda maior: só 18% das vítimas eram mulheres, sendo a faixa etária dos 45 a 64 anos a mais atingida.

 

Fonte: iCarros/Estradas.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui