Em entrevista à Rádio Globo do Rio de Janeiro, o Coordenador do SOS Estradas, Rodolfo Rizzotto, revelou que alguns clubes de futebol estão avaliando a possibilidade de usarem o exame toxicológico de larga janela, o mesmo que é obrigatório para motoristas das categorias C, D e E, como parte dos exames exigidos para atletas contratados pelo clube, no retorno das férias e até mesmo nas divisões de base. Na Austrália, em apenas um time da primeira divisão do chamado futebol australiano, foram flagrados 11 atletas nos exames toxicológicos que teriam feito uso de drogas regularmente no período de férias em apenas 1 clube.

O popularmente conhecido como “exame do cabelo”, permite detectar o uso regular de drogas, ou seja se uma pessoa faz uso regular de algumas substância psicoativa. O tema voltou a ganhar destaque quando os jogadores da seleção da Argentina, capitaneados por Leonel Messi, reuniram a imprensa e informaram que não falariam mais com os jornalistas porque um radialista informou que o jogador Lavezzi teria sido excluído do jogo com a Colômbia por ter fumado maconha na concentração e isso poderia ser flagrado no exame antidoping. A informação do jornalista teve grande repercussão na Argentina e no mundo.

Rizzotto lembra que os clubes investem fortunas na contratação de jogadores e nada mais natural que testar para drogas o atleta utilizando a tecnologia mais moderna disponível no mercado. Ouça a entrevista na íntegra.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui