Faixas refletivas no teto de veículos pesados podem salvar vidas
Faixas refletivas no teto de veículos pesados podem salvar vidas

Em 2017 o SOS Estradas realizou pesquisa inédita sobre o uso de faixas refletivas. Na ocasião cerca de 31% dos condutores entrevistados reconheceram que nunca foram fiscalizados sobre a qualidade e estado das faixas dos seus caminhões, embora quase todos reconhecessem sua importância.

A conclusão do estudo foi assustadora: “Considerando a frota estimada, somente de caminhões, em 3,2 milhões de veículos circulando no país, é possível estimar, pela pesquisa realizada, que pelo menos 1,5 milhão circulam com as faixas fora do padrão, considerando apenas uma análise visual das mesmas. O que reforça a tese de que esse item de segurança passiva não tem sido fiscalizado adequadamente.”

O SOS Estradas também sugeriu no trabalho o uso de faixas refletivas na parte superior da carroceria dos ônibus e caminhões porque aumentaria a visibilidade do veículo tombado atravessado na pista e ajudaria a evitar acidentes mais graves.

No momento do tombamento, em particular quando o veículo fica atravessado na pista, as faixas refletivas laterais simplesmente desaparecem e as colocadas nos para-choques não são visíveis.

A proposta do SOS Estradas não é tornar obrigatório o uso das faixas na parte superior. Apenas estimular seu uso para diminuir o risco, por exemplo, de que passageiros dentro de um ônibus tombado sejam atingidos por um veículo, já que a noite o veículo nessas condições não é perceptível.

O mesmo ocorre com o caminhoneiro ferido dentro da cabine que pode ser atingido quando aguarda socorro ou tenta sair da mesma. “É importante que o motorista e as empresas reflitam sobre essa ideia em benefício da segurança de todos que circulam nas rodovias.” Explica Rodolfo Rizzotto, Coordenador do SOS Estradas.

O custo de duas faixas refletivas no teto da cabine de um caminhão não chega a R$ 15,00. No caso do ônibus com R$ 30,00 é possível evitar uma tragédia. Já a aplicação nos chassis, que também pode ajudar para quem vem em sentido contrário, é mais complexa.

Não somente pela dificuldade de encontrar pontos adequados como pelo desgaste rápido e perda da refletividade em função da sujeira da pista e danos na circulação do veículo.

“Nos meus carros sempre usei faixa refletiva, apesar de não ser obrigatório. Nosso objetivo é estimular a cultura de segurança mas não é obrigar por lei que todos comprem. Não é esse o caminho.”, enfatiza Rizzotto.

As imagens do caminhão tombado meio da rodovia e de um ônibus mostram que a sugestão do SOS Estradas faz sentido para quem acredita que prevenir é melhor que remediar. E a vida é viagem de mão única, não dá para voltar atrás.

Faixas refletivas salvam vidas até de quem não está na pista

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui