URGÊNCIA: Concessionária Rota do Oeste iniciou na quarta (14) as obras subaquáticas na ponte sobre o Rio Vermelho, na BR-364, em Rondonópolis (MT). Foto: Divulgação

De acordo com a concessionária Rota do Oeste, será empregada mesma tecnologia de portos e plataformas petrolíferas

As obras subaquáticas para recuperação estrutural de tubulões da ponte sobre o rio Vermelho, em Rondonópolis (MT), no Km 202 da BR-364/163, tiveram início na quarta-feira (14) por uma empresa contratada pela concessionária Rota do Oeste.

De acordo com a concessionária, o serviço está orçado em R$ 820 mil e usará tecnologia empregada em portos e plataformas petrolíferas. A estimativa para conclusão desta etapa é de 60 dias.

Ainda segundo a empresa, o tráfego na ponte está parcialmente interditado no sentido sul (Cuiabá-Rondonópolis) desde 15 de agosto, após conclusão de laudo de monitoramento apontar patologia em tubulões que sustentam a estrutura. Por enquanto, não há previsão para liberação do fluxo de veículos.

Segundo o gerente de Obras e Conservação da concessionária, Luciano Uchoa, diante da identificação do problema, foi contratado de forma imediata a elaboração de um projeto que atendesse às necessidades estruturais de uma obra de arte com idade avançada e uso intenso, como no caso dessa ponte. A obra começa a ser executada por uma equipe com 16 profissionais da área, sendo seis mergulhadores.

Trabalho submerso

“O serviço que vamos realizar na BR-364 é bastante utilizado em portos e plataformas de petróleos e vai sanar o problema identificado em tubulões da ponte. Como se trata de um trabalho submerso, e essa não é a especialidade da concessionária, buscamos tecnologia específica oferecida por empresas com know-how na área”, explica o gerente.

A etapa inicial prevê a construção de um acesso até a fundação danificada, seguida de nivelamento de solo do fundo rio para assentamento das formas metálicas. O processo de recuperação inclui ainda hidrojateamento para limpeza dos dois tubulões a serem recuperados, instalação da armadura de reforço e formas metálicas para posterior concretagem.

“As formas foram fabricadas especialmente para a ponte sobre o rio Vermelho e vai possibilitar a aplicação do microconcreto especial para estruturas submersas. Inicialmente, vamos recuperar um tubulão e, quando concluída essa recuperação, atuaremos no outro que também está danificado”, afirma Uchoa.

Histórico

A Rota do Oeste iniciou a recuperação da ponte em junho deste ano. Como a obra de arte tem quase 70 anos, a empresa ampliou a inspeção por meio de monitoramento subaquático, seguindo os mesmos moldes adotados em plataformas de petróleo ou portos. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a ponte sobre o Rio Vermelho foi construída em 1953. Esta é uma das pontes mais antigas do trecho sob concessão da BR-163.

Uchoa frisa que a postura vigilante da Rota do Oeste com relação às estruturas que herdamos do Poder Público em 2014 possibilitou que à Rota do Oeste se antecipar a uma possível situação de risco. “Por isso, em agosto decidimos interromper o tráfego até que seja realizado um serviço de reparação”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui