Primeira sentença indenizatória às famílias das vítimas de Borborema (SP) mortas no acidente de 2014. Justiça alegou que rodovia estava em obras e mal sinalizada. Cabe recurso

Quase quatro após o grave acidente entre um ônibus de estudantes de Borborema (SP) e uma carreta, que matou 13 pessoas, a Justiça divulgou a primeira sentença de indenização do caso para as famílias das vítimas. A decisão é em primeira instância e cabe recurso.

A sentença, proferida pela Justiça de Ibitinga nesta terça-feira (4), determinou que o DER (Departamento de Estradas de Rodagem) e uma empreiteira que fazia obras no local do acidente paguem indenizações que variam de acordo com a idade produtiva de cada vítima, chegando até a 150 salários mínimos para cada família.

Através de sua assessoria de imprensa, o DER informou quem “em respeito ao andamento do processo que está sendo conduzido pela Procuradoria Geral do Estado, irá aguardar a conclusão do processo para tomar as medidas cabíveis”. Por telefone, a empreiteira Bandeirantes informou que não foi intimada da sentença.

Segundo o processo, de acordo com a perícia, o trecho da Rodovia Deputado Leônidas Pacheco (SP-304), em Ibitinga, passava por obras do DER, onde a responsável pelo trabalho seria a empreiteira.

DER e empreiteira foram responsabilizados pela Justiça a pagar as indenizações porque o trecho em obras estaria mal sinalizado. De acordo com a perícia, este fato teria comprometido a segurança dos motoristas e colaborado para ocasionar o acidente.

Relembre a tragédia

No acidente da noite do dia 27 de outubro de 2014, 13 pessoas morreram quando um ônibus de estudantes que voltava de uma excursão a São Paulo promovida pela Secretaria Estadual de Educação chocou-se lateralmente com uma carreta do quilômetro 370 da Rodovia Leônidas Pacheco Ferreira (SP-304), em Ibitinga.

O impacto foi tão forte que a lateral do ônibus foi toda arrancada e alguns dos passageiros – entre eles pelo menos seis adolescentes, de 15 a 17 anos – foram arremessados para fora do veículo. As vítimas morreram na hora. Vários passageiros ficaram presos nas ferragens.

O ônibus levava estudantes e professores da Escola Estadual “Dom Gastão Liberal Pinto”, de Borborema. O acidente tirou a vida de oito estudantes e três professoras da unidade de ensino, além de uma diretora de outro colégio e de uma fotógrafa que acompanhava a excursão do grupo a São Paulo.

Fonte: www.g1.com.br/sp/bauru-marilia

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui