TRAGÉDIA EM DOBRO: O acidente na BR-290 envolvendo o HB20, um ônibus e a carreta-cegonha teve uma tristeza ainda maior. A mãe e o filho voltavam do enterro do marido e pai, que aconteceu no Rio Grande do Sul. Fotos: Divulgação

Tony de Medeiros Funari, 28 anos, e a mãe, Maria Gorete de Medeiros Funari, 60 anos, estavam no HB20 que colidiu contra um caminhão-cegonha

No HB20 prata que colidiu frontalmente contra um caminhão-cegonha, na manhã desta terça-feira (24), em Eldorado do Sul, estava uma família catarinense abalada. Tony de Medeiros Funari, 28 anos, a irmã Denizia de Medeiros Funari, 37 anos, e a mãe deles, Maria Gorete de Medeiros Funari, 60 anos, voltavam do enterro do patriarca da família. José Antonio Funari, 70 anos, morreu neste fim de semana em Bagé, na Fronteira Oeste, vítima de infarto. Ele comemorava no Rio Grande do Sul, junto a familiares, a aposentadoria recém-adquirida da esposa, Maria Gorete.

No último domingo, a 700 quilômetros de Bagé, Tony e Denizia entravam no HB20 e deixavam Laguna para trás. Iniciavam a viagem à cidade gaúcha para enterrar o pai e buscar a mãe de volta para Santa Catarina, onde todos moravam. Após a cerimônia fúnebre, já no regresso ao Estado-natal, houve a colisão. Tony e Maria Gorete morreram na BR-290, alguns quilômetros antes de Porto Alegre. Denizia está internada na UTI do Hospital de Pronto Socorro (HPS) de Porto Alegre e seu estado inspira cuidados. Ela tem dois filhos de 14 e 16 anos.

RECÉM-VIÚVA: Maria Gorete de Medeiros Funari, 60 anos, voltava do enterro de seu marido, no Rio Grande do Sul, quando se envolveu em acidente com o filho.

O rapaz de 28 anos era casado com Amanda da Silva Lima, 25 anos, com quem tem uma filha de sete anos, quase oito. No domingo (29), a menina que perdeu dois avós e o pai, faz mais um aniversário. Tony, Amanda e a filha praticavam jiu-jitsu e apareciam sempre juntos na academia. Os adultos com faixas azuis e a pequena com uma cinza enroladas nas cinturas.

— Aconselhei ele a não ir dirigindo. Falei que ele não estava bem para ir tão longe, afinal tinha acabado de perder o pai — conta Amanda.

Ela deve vir a Porto Alegre ainda nesta terça-feira (24) para dar continuidade aos trâmites funerários. Amparada pelos pais, lembra do marido com carinho:

— Era uma pessoa maravilhosa, que ajudava a todos — resume.

TRISTEZA: Tony de Medeiros Funari, 28 anos, dirigia o HB20 quando bateu de frente com uma carreta-cegonha, na BR-290. A irmã Denizia de Medeiros Funari, 37 anos,ficou gravemente ferida e a mãe também morreu na colisão. Ele deixou esposa e filha de 7 anos. 

Fonte: GaúchaZH

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui