PREVENÇÃO: Para ajudar no combate aos focos, a Rota do Oeste dispõe de 19 veículos de inspeção de tráfego, todos com abafadores e cinco caminhões-pipa, que ficam posicionados estrategicamente para agir em pequenos focos de queimadas e no apoio ao Corpo de Bombeiros. Foto: Divulgação

De acordo com a concessionária, ações visam combater os focos iniciais, evitando incêndios de grandes proporções

O período é propício para a incidência de registros de focos de incêndios em vegetações. E o estado do Mato Grosso tem registrado aumento 20% no primeiro mês desde que o período proibitivo de queimadas (entre 1º/7 e 30/9) está em vigor, em relação ao mesmo período de 2019.

Sendo assim, as ações da concessionária Rota do Oeste, responsável pela administração da BR-163, têm sido eficazes no combate às queimadas de grandes proporções. As medidas têm dado apoio às equipes do Corpo de Bombeiros.

De acordo com o secretário-executivo do Comitê do Fogo do Mato Grosso, Paulo André Barroso, o ano de 2020 apresenta condições de seca mais severas do que os outros anos. “Os índices de chuva e o nível dos rios estão abaixo da média. Isso faz com que a vegetação fique mais seca e o fogo, tanto inicia, como se espalha com muita facilidade”, esclarece.

Segundo o gerente de Operações da concessionária, Wilson Ferreira, o combate a pequenos focos, em todo o trecho sob concessão, vai de Itiquira a Sinop; e a interação da empresa com a Corporação tem se mostrado eficaz para o atendimento de incêndios de grande porte. “É um momento delicado em todo o estado, então a meta é manter a nossa equipe em alerta, atuando nos focos iniciais, impedindo que o fogo aumente”, diz.

Números do ICV

Dados do Instituto Centro de Vida (ICV) afiram que o monitoramento dos focos de calor no estado, a partir das informações do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), indicou que julho foi o mês com o maior índice de focos de incêndio em Mato Grosso, registrando 2.429 novos casos.

Para ajudar no combate aos focos, a concessionária dispõe de 19 veículos de inspeção de tráfego, todos com abafadores e cinco caminhões-pipa, que ficam posicionados estrategicamente para agir em pequenos focos de queimadas e no apoio ao Corpo de Bombeiros.

Cuidados em situação de fumaça na pista

De acordo com Ferreira, os motoristas devem ficar atentos à presença de fumaça na rodovia. Algumas dicas são válidas, como: reduzir a velocidade, acender os faróis em luz baixa e manter a distância segura do veículo à frente. “Caso a visibilidade fique comprometida, os condutores devem procurar um local seguro para pararem. Ao longo da rodovia, existem 18 bases fixas do Serviço de Ajuda ao Usuário (SAU)”, complementa.

Informações: 0800 065 0163.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui