INDO EMBORA: Minivan Vito, da Mercedes-Benz, até que tentou emplacar, mas não agradou aos brasileiros, desde 2015, quando foi lançada no país. Na foto, um dos modelos apresentado aos visitantes de um projeto social em Formiga (MG), na concessionária Prodoeste. Foto: Aderlei de Souza

Minivan permaneceu em produção no país vizinho por três anos, mas não agradou nem lá nem cá

Em agosto de 2015 foi iniciada a fabricação do utilitário na planta de Virrey del Pino. De acordo com a notícia, a Mercedes-Benz investiu 800 milhões de pesos para concretizar os planos. Contudo, as crises econômicas que abalaram ambos os países podem ter sido responsáveis pelo fracasso deles.

Na Argentina, uma alta de impostos levou à classificação da Mercedes Vito como um veículo de passageiros, e não comercial. Por lá, são necessários assentos para 11 ou mais passageiros para que a categorização ocorra. Devido a tanto, impostos altos incidiram sobre a van, que chegou ao mercado com preços elevados.

Vendas não emplacaram

Naquele país, foram comercializadas 262 unidades em 2015, 1.366 em 2016, 1.626 em 2017, e apenas 1.384 em 2018. No Brasil, o cenário foi ainda pior no acumulado de 2018. Segundo dados da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (FENABRAVE), foram emplacadas apenas 50 unidades da Mercedes Vito no período.

O modelo tem porte menor que a Mercedes Sprinter, comercial que viu um pouco mais de sucesso que irmã. No Brasil, a Vito foi categorizada como comercial leve.

De acordo com a publicação, embora esteja saindo de linha, a van continuará a ser vendida por algum tempo devido aos grandes estoques. No Brasil, entretanto, pode ser diferente, já que o mercado nacional depende da importação do modelo, que pode ter sido feita com mais parcimônia.

No mundo, o modelo existe desde 1996. A Mercedes Vito continua sendo produzida na Espanha, e é vendida no mercado europeu com o nome Viano.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui