Depois da morte da esposa, morreu no Hospital Renascença, em Campinas (SP), o motociclista que se envolveu em um acidente na praça de pedágio de Jacarezinho (Paraná). No último dia 14, Eduardo Alves Braga ficou em estado grave após ter o pescoço enrolado por uma corrente quando tentou passar pela lateral do posto de cobrança. A mulher dele, uma psicóloga de 35 anos, morreu na hora, depois que a corrente atingiu o marido e enrolou no seu pescoço.

A assessoria de imprensa do hospital informou que Braga foi transferido para o HRC no dia 16 de setembro – dois dias após ter sofrido o acidente de moto. O óbito dele foi confirmado às 22h45 de segunda-feira (22), em decorrência de complicações geradas pelos traumas sofridos na colisão.

A Econorte, empresa que administra o trecho onde o acidente ocorreu, lamentou a morte da segunda vítima do acidente e informou, por meio do setor de comunicação, que aguarda a verificação das autoridades responsáveis pelo caso. Já o delegado de Jacarezinhonão foi encontrado para falar sobre o caso.

No domingo (21) à tarde, cerca de 15 pessoas promoveram uma manifestação na praça de pedágio Marques dos Reis, no entroncamento das BRs 153 e 369, divisa com o Estado de São Paulo, justamente onde o acidente ocorreu. O grupo liberou as cancelas da praça de pedágio para a livre passagem de veículos. A movimentação foi acompanhada pela Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Em depoimento à polícia, Braga teria negado que tentou burlar o sistema de cobrança de pedágio. Ele alegou que se confundiu, pois acreditava que assim como no Estado de São Paulo, no Paraná as motocicletas ficariam isentas das tarifas. O valor do pedágio naquela praça é de R$ 6,60.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui