PROJETO DE LEI: Senador propõe prisão para quem matar ou provocar ferimentos graves, após ingestão de bebida alcoólica. Neste acidente, o motorista fugiu após colidir com a traseira de um caminhão, em 2 de junho, na SP-330. Testemunhas disseram que, após o acidente, o empresário dispensou pelo menos quatro garrafas de uísque que estavam no carro. Depois de jogar a bebida fora, ele teria abandonado as vítimas e desaparecido. Fotos: Divulgação

Empresário foi preso, mas está internado na Santa Casa de Catalão (GO); ele responderá por homicídio, lesão corporal, fuga, omissão de socorro, embriaguez ao volante e fraude processual

O empresário Marcos Paulo Hasimoto, que abandonou os amigos feridos após bater o carro na traseira de um caminhão, na Via Anhanguera (SP-330), foi indiciado por seis crimes, de acordo com a Polícia Civil.

Ainda de acordo com os policiais, o motorista irá responder por homicídio e lesão corporal dolosos, quando há intenção, fuga de local de acidente, omissão de socorro, embriaguez ao volante e fraude processual.

A conclusão do inquérito será encaminhada ao Ministério Público (MP). Hasimoto foi preso preventivamente no início de junho, na Santa Casa de Catalão (GO), a 295 quilômetros de distância do local do acidente.

ACUSADO: O motorista Marcos Paulo Hasimoto foi indiciado por seis crimes cometidos no dia do acidente que matou um de seus amigos e feriu outro, na Via Anhanguera (SP-330), em 2 de junho deste ano. Foto: Divulgação

O acidente

No dia do acidente, em 2 de junho, testemunhas disseram que, após se envolver na colisão, o empresário dispensou pelo menos quatro garrafas de uísque que estavam no carro. Depois de jogar a bebida fora, ele teria abandonado as vítimas e desaparecido.

O passageiro Lucas Lemos da Silva, de 23 anos, morreu no local. O outro ocupante, Ênio da Silva Costa Junior, de 35 anos, foi levado em estado grave a um hospital particular de Ribeirão Preto (SP). Ele não corre mais risco de morte.

Segundo o advogado de Hasimoto, o caso não será comentado até a conclusão do inquérito policial.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui