Laudo do Instituto de Criminalística de Araraquara indica que a carreta envolvida no acidente que provocou a morte de 13 pessoas em Ibitinga, interior de São Paulo, no último dia 27, estava na contramão no momento do choque. A colisão ocorreu por volta das 23h30, na Rodovia Deputado Leônidas Pacheco Ferreira (SP-304), na altura do quilômetro 368. De acordo com o delegado Carlos Alberto de Oliveira, responsável pelas investigações, a perícia confirmou a invasão, mas não informou as razões.

Uma das possibilidades é a fadiga de ambos os motoristas. Segundo o Jornal da Cidade de Bauru apurou, o Ministério Público do Trabalho está investigando a possibilidade de excesso de jornada dos motoristas, inclusive dos motoristas dos demais ônibus da mesma excursão, que chegaram à Borborema sem problemas. Segundo passageiros da excursão, os motoristas ficaram a disposição dos estudantes por 24h. A matéria do JCNET apurou ainda que o motorista do caminhão teria trabalhado durante o dia todo, antes de realizar a viagem.

A Lei 12.619/12, a chamada Lei do Descanso, determina que a jornada de trabalho deve ser de 8h com no máximo mais duas horas extras e o descanso entre jornadas deve ser de 11h. No caso dos motoristas do ônibus, a matéria indica que isso não ocorreu. Ao mesmo tempo em que o trágico acidente é objeto de investigações, no Congresso Nacional deputados ligados ao agronegócio e embarcadores tentam revogar a Lei do Descanso, aumentando a jornada de trabalho e, na avaliação do Procurador Paulo Douglas, criando condições para que acidentes como o de Ibitinga se repitam.

Veja a matéria do Jornal da Cidade 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui