RECORDE: A PMRv do MS bateu recorde no primeiro semestre de 2020 ao apreender mais de 76 toneladas de drogas. Foto: Divulgação

De acordo com a Corporação, volume apreendido representa 86% de toda a droga apreendida em 2019, que totalizou 89,5 toneladas

O Batalhão de Polícia Militar Rodoviária (PMRv), responsável pela fiscalização de trânsito e policiamento ostensivo em 141 rodovias e estradas do Estado do Mato Grosso do Sul, divulgou na quarta-feira (1º/7), um novo balanço das ações referente ao primeiro semestre de 2020.

De acordo com a PMRv, somente nos seis primeiros meses deste ano, a PMRv apreendeu 76 toneladas de drogas, alcançando mais um recorde histórico no combate ao tráfico de drogas e contra o crime organizado, que utiliza as rodovias estaduais para a prática desse delito.

Ainda de acordo com a PMRv, o prejuízo às organizações criminosas do tráfico de drogas estimado é de no mínimo R$ 76 milhões. O volume apreendido no primeiro semestre de 2020 representa 86% de toda a droga apreendida em 2019, que totalizou 89,5 toneladas. 129 pessoas foram presas pela Corporação por envolvimento no tráfico de drogas e outras 295 pessoas foram conduzidas a Delegacia de Polícia por diversos delitos.

Fiscalização

Cerca de 85 mil veículos com seus condutores e passageiros foram fiscalizados pela PMRv, que apreendeu 255 veículos utilizados para prática de outros delitos, como contrabando e descaminho, ou por serem produtos de roubos ou furtos.

Para o comandante do BPMRv, Tenente Coronel Wilmar Fernandes, “enfrentar o tráfico de entorpecentes nas rodovias estaduais representa um serviço do estado de Mato Grosso do Sul a toda sociedade brasileira, pois interrompe um ciclo criminoso, descapitaliza o crime organizado e contribuiu diretamente na diminuição da violência urbana”.

E continua explicando que “o aumento da apreensão de droga se dá em razão Operação Hórus em Mato Grosso do Sul, desencadeada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública e da SEJUSP/MS (Secretaria de Estado Justiça e Segurança Pública), que ampliou a integração dos órgãos de segurança pública”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui