COVID-19: Representante da Funai pede suspensão da cobrança do pedágio, na MT-208, que liga Aripuanã a comunidade de Conselvan passando por dentro das terras Arara por tempo indeterminado. Foto: Divulgação

De acordo com a entidade, medida de formato de urgência serve para evitar que aumente o numero de casos de coronavírus nas comunidades indígenas

Depois de 28 casos confirmados positivos pelo teste rápido de indígenas da etnia Cinta-larga nessa semana em Aripuanã, a Funai por meio do Coordenador Técnico Local, professor Lauriano Umbelino Martins realizou uma reunião na noite de sexta-feira (17), com representantes das comunidades indígenas do município para que sejam tomadas medidas urgentes com o objetivo de evitar o aumento de indígenas da região contaminados pelo novo coronavírus e para que os eventuais casos já confirmados sejam imediatamente atendidos.

Conforme o professor Lauriano, uma das providências recomendadas foi à liberação do pedágio, na MT-208, que liga Aripuanã a comunidade de Conselvan passando por dentro das terras Arara por tempo indeterminado. “Estamos buscando principalmente garantir que os indígenas não precisem deixar o isolamento social nas aldeias em busca de produtos e serviços nas zonas urbanas dos municípios, e também impedir que não indígenas entrem nas Terras Indígenas (TIs), e dessa forma assegurar que as equipes de saúde estejam equipadas e tenham planejamento para o atendimento”, disse Coordenador.

Lauriano alertou também aos motoristas que usam esse trajeto para que não parem na localidade do pedágio da etnia Arara, devido à dificuldade de criar uma barreira sanitária. “O objetivo é garantir a segurança dessa população e o nosso incentivo foi o uso da máscara de pano sempre que for necessário, caso algum indígena tenha que sair da comunidade, mas há recomendação é que os indígenas não deixem as aldeias”, enfatizou o professor Lauriano Umbelino.

Conforme a chefe do Polo Base de Saúde Indígena de Aripuanã, Luana Crestani Gomes, após a confirmação dos casos, as aldeias estão fechadas e já iniciaram o tratamento em massa com os medicamentos Ivermectina, Azitromicina e Dipirona. Ainda conforme a Luana foi realizado os testes rápidos na aldeia inteira. “Olha os nossos indígenas estão bem conscientes e com medo dessa pandemia do novo coronavírus, acredito sinceramente que eles irão respeitar o fechamento total nas aldeias” destacou Crestani.

A enfermeira Priscylla Moneratto Coelho, se deslocou no dia 16 de julho paras aldeias Taquaral e Taquaral Divisa, onde o numero é maior de contagio, para avaliar todos os indígenas e deixar os mesmos que testaram positivo em isolamento no Posto de Saúde da Aldeia, e eles estão sendo supervisionado pela técnica de Enfermagem Rosana Maria Bento, durante esses 14 dias de quarentena. Um carro com motorista à disposição está na localidade, dando suporte a equipe, caso alguém tenha o quadro de saúde agravado. Já então sendo entregue de cestas básicas para todos da comunidade.

Fonte: Site Topnews

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui