PRIORIDADE: o diretor-geral do DNIT, Santos Filho, disse que a obra de duplicação da BR-116 é prioritária para o governo federal. "A BR-116 tem uma característica especial. Ela é prioritária, assim como a ponte do Guaíba, e temos certeza que não haverá falta de recursos para execução dos serviços”, frisou. Foto: Divulgação
O diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), Antônio Leite dos Santos Filho, visitou na semana passada as obras de duplicação das rodovias BR-116 e BR-392, no trecho entre Guaíba e Contorno de Pelotas, no Rio Grande do Sul.
Na ocasião, uma comitiva deslocou-se de Porto Alegre, fazendo paradas em pontos estratégicos para visualizar em campo o avanço do empreendimento. A vistoria foi acompanhada pelo superintendente regional do órgão, Delmar Pellegrini Filho, fiscais dos lotes de obra, além de representantes das construtoras e supervisão.
“A BR-116 tem uma característica especial. Ela é prioritária, assim como a ponte do Guaíba, e temos certeza que não haverá falta de recursos para execução dos serviços”, disse Santos Filho.
O diretor definiu a percepção do DNIT frente à obra e ao cenário para 2019. Segundo ele, a previsão orçamentária para este ano é de pouco mais de R$ 100 milhões, e os esforços serão canalizados na entrega parcial de trechos ao tráfego.
VISTORIA: Representantes do DNIT e da empresa responsável pela obra vistoriaram, na semana passada, os trabalhos em execução. Duplicação está prevista para ser entregue em 2021. Foto: Divulgação
“Até julho prevemos liberar, aproximadamente, 40 quilômetros de pista, e, ainda este ano, nossa expectativa é alcançar a marca de 100 quilômetros entregues ao tráfego”, explicou. A conclusão do empreendimento está prevista para 2021.
Especificamente no Contorno de Pelotas, trecho de 23,69 quilômetros que contempla parte da BR-116 e outra da BR-392, os serviços estão mais avançados.
A expectativa é de finalização no ano que vem, sendo que aproximadamente 14 quilômetros do trecho já estão liberados ao tráfego e as obras estão concentradas na construção e conclusão de cinco viadutos.
“Este ano temos a previsão de alocação de R$ 20 milhões e a possibilidade de mais R$ 50 milhões no ano que vem, chegando à finalização dos recursos para o empreendimento”, finalizou Santos Filho.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui