AUMENTOU: O presidente Jair Bolsonaro voltou ao tema dos radares, em discurso recente, garantindo sua determinação de continuar desligando os equipamentos e dizendo que os equipamentos não ajudam a reduzir os sinistros (acidentes). Foto: Divulgação

De acordo com o coordenador do SOS Estradas, Rodolfo Rizzotto, decisão do presidente da República provocou aumento no número de sinistros* e mortes nas estradas brasileiras 

O presidente Jair Bolsonaro voltou ao tema dos radares, em discurso recente, garantindo sua determinação de continuar desligando os equipamentos e dizendo que os equipamentos não ajudam a reduzir os sinistros (acidentes).

No comentário do coordenador do SOS Estradas, Rodolfo Rizzotto, há uma explanação clara de como Bolsonaro está equivocado em sua atitude. “Efetivamente as mortes e os feridos estão aumentando nas rodovias federais desde que a política de não fiscalização de velocidade foi implantada pelo presidente, a partir de abril de 2019”, disse.

Segundo Rizzotto, a situação ficou mais grave com a entrada em vigor da Resolução 798 do Contran, que determina informar onde podem ter radares portáteis em todo território nacional.

Ainda de acordo com Rizzotto, o que era um equívoco de política apenas nas rodovias federais expandiu suas consequências mortais para todas as vias do país. “Atualmente, 95% das rodovias federais não têm controle de velocidade. Os infratores contumazes fazem a festa e sabem que sua impunidade está garantida”, frisa.

O especialista esclarece que com a Resolução 798 em vigor, os motoristas já podem andar impunes nas demais vias.

Para saber mais, visite o portal Estradas no endereço: http://www.estradas.com.br e nas mídias sociais: http://www.facebook.com/Estradascombr http://www.twitter.com/SOSEstradas Observação: Este espaço é dedicado as vítimas de trânsito e seus familiares.

Segundo Rizzotto, a violência no trânsito não escolhe as vítimas por simpatia política mas é fruto da impunidade, com a qual contribuem políticos de todas as correntes.

(*) Estradas adotou expressão

Desde a segunda quinzena de janeiro de 2021, o portal Estradas passou a adotar a expressão “sinistro de trânsito“, ou apenas “sinistro” no lugar de “acidente de trânsito” ou “acidente”.

De acordo com o editor do Estradas, Rodolfo Rizzotto, o Portal resolveu adotar essa expressão porque entende que é o termo adequado para definir ocorrências que são tragédias anunciadas (previsíveis), que poderiam ser evitadas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui