REDENÇÃO: Operação teve início a partir de uma série de notícias crime da Seguradora Líder, que detectou fraudes em pedidos de indenização por invalidez permanente e morte. Foto: Divulgação

Médicos de duas clínicas em Redenção (PA) estão envolvidos no crime de estelionato e falsidade ideológica

O Ministério Público do Pará ofereceu na semana passada uma série de denúncias contra pessoas que fariam parte de uma quadrilha especializada em fraudar o Seguro DPVAT. Denominada Redenção, a operação teve início a partir de uma série de notícias crime da Seguradora Líder, que detectou fraudes em pedidos de indenização por invalidez permanente e morte.

De acordo com a empresa, médicos de duas clínicas da cidade de Redenção, no Pará, são acusados de emitir laudos falsos e responderão pelos crimes de estelionato, falsidade ideológica e associação criminosa.

Todos os pedidos de diligências feitos pelo Ministério Público do Pará na denúncia foram deferidas pelo juiz do município. Os acusados falsificaram documentos e comunicaram sinistros inexistentes pleiteando nove indenizações por invalidez permanente e uma por morte. A identificação das fraudes evitou perdas máximas de R$ 135 mil, que lesariam não só o Seguro DPVAT, como toda a sociedade brasileira.

Uma das principais atribuições da Seguradora Líder é garantir que o Seguro DPVAT beneficie a quem tem direito. Por isso, as ações de combate às fraudes ganharam destaque e todas as vezes em que uma irregularidade é detectada, uma notícia crime é encaminhada aos órgãos competentes.

Somente esse ano, essas iniciativas proativas já resultaram em 17 sentenças condenatórias, 21 condenados, 22 cancelamentos, suspensões ou cassações de registros em órgãos de classe e duas prisões em todo o Brasil.

Uma dessas iniciativas foi destaque da 81ª edição da newsletter Líder Informa, em que uma empresária foi presa, em Luziânia, município de Goiás, acusada de fraudar o Seguro DPVAT. A Operação “Parálysis” foi desencadeada após os policiais do Grupo de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Gepatri) de Luziânia constatarem que a suspeita falsificava documentos e montava processos de invalidez permanente, totalizando cerca de R$ 220 mil em indenizações.

Canal de Denúncias

Fraudar o Seguro DPVAT é crime e a Seguradora Líder conta com o apoio de toda a população brasileira na realização de denúncias de casos suspeitos, sem a necessidade de identificação e de forma totalmente gratuita, através do seu Canal de Denúncias, disponível pelo telefone 0800 022 12 05, de segunda a sexta-feira, de 9h às 18h ou clicando aqui.

Fonte: Seguradora Líder

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui