IRRESPONSABILIDADE: Motorista do caminhão-baú dirigiu por vários quilômetros em zigue-zague até bater no pedágio na BR-050 e provocar a morte de quatro pessoas, incluindo a dele. Foto: Reprodução/Divulgação

Caminhão-baú trafegou em zigue-zague na rodovia por vários quilômetros antes de bater no pedágio no km 226 da rodovia; caminhoneiro que seguia atrás flagrou a cena e a tragédia, que resultou em quatro mortes e oito feridos; segundo o caminhoneiro que filmou, 191 da PRF não atendeu às ligações (veja vídeos)

A tragédia flagrada por um caminhoneiro na manhã deste domingo (28) numa praça de pedágio no km 226 da BR-050, em Campo Alegre de Goiás (GO), que resultou em quatro mortes e oito feridos, poderia ter sido evitada.

Isso porque um caminhoneiro que seguia logo atrás do motorista do caminhão-baú – que provocou o sinistro (acidente) – flagrou o veículo trafegando em zigue-zague e tentou ligar para o 191 da PRF e avisar sobre a conduta perigosa do coplega. Mas, infelizmente, o telefone 191 não atendeu às ligações. No vídeo (abaixo) é possível ouvir o desespero do caminhoneiro em tentar avisar a PRF ou os funcionários do pedágio para evitar uma tragédia.

Nas imagens é possível ouvir a conversa do caminhoneiro com outro colega sobre a direção perigosa do caminhão-baú. Minutos antes de ocorrer a tragédia, o caminhoneiro fala que vai parar no pedágio para avisar ou iria tentar avisar o próprio motorista sobre a sitação perigosa. por vários quilômetros antes de chocar na ilha de concreto da praça de pedágio e colidir na traseira de dois veículos e uma carreta, que estavam parados na cabine para o pagamento da tarifa.

Essa cena foi gravada por um caminhoneiro, que seguia logo atrás do veículo, e tentou – por pelo menos duas vezes – ligar para o 191 da PRF para avisar da situação de perigo com o companheiro, mas não teve sucesso. No vídeo, o caminhoneiro conversa pelo rádio com outro colega da estrada e pouco antes da colisão diz para o colega que vai tentgar avisar o motorista do baú sobre sua forma de dirigir. Infelizmente, não teve tempo. A cena da colisão e da enorme explosão foi gravada. O caminhoneiro ficou bastante abalado com o que via.

O Estradas manteve contato pelo WhatsApp com a Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Brasília (DF), solicitando explicações sobre o fato de o 191 não ter atendido às ligações do caminhoneiro. A reportagem perguntou se a linha estava com problemas técnicos ou se havia falta de agentes na base da PRF próxima da região onde ocorreu a tragédia.

Na sequência, a reportagem ligou para o telefone fixo da PRF em Goiás e conversou com a agente Liliane, que disse que também viu o vídeo do caminhoneiro, mas não sabia falar qual foi o problema. “Provavelmente, foi algum problema técnico, visto que não houve nenhuma ligação recebida para falar desse acidente”, disse a agente.

Ainda de acordo com a PRF Liliane, ela não sabia especificar qual seria o problema. “Deve ter sido algum problema técnico, porque realmente não não chegou nenhuma ligação pra gente sobre a direção perigosa, que estava ocorrendo antes, e nem depois do acidente. Nenhuma ligação sobre isso”, frisou.

A assessoria de imprensa da PRF informou que o fato de o caminhoneiro ter mencionado ‘rede ocupada’, “isso pode ter relação com a cobertura da telefonia celular e não com a PRF, assim, a ligação não teria sido completada na origem.”

Ainda de acordo com a assessoria, “informações preliminares de que PRF somente foi acionada por telefone de emergência após a ocorrência do acidente.

TRISTEZA: Entre as vítimas fatais, estão Reginaldo Ribeiro Silva Júnior, de 40 anos, sua esposa, Marielly Maiza Mendes de Faria, de 26 anos, e o filho do casal, Cauã Dornelas Ribeiro Silva, de 2 anos. Foto: Reprodução/Redes Sociais

11 COMENTÁRIOS

  1. A PRF ja nao anda fazendo nada fax tempo. As atrocidades que a gentr ve nas estradas ocorrem por certeza de impunidade e falta de fiscalizacao da PRF. Ficam entocados nas bases dormindo ou nos celulares. É fato.

    • Mario Rosa, bom dia!

      Obrigado por nos prestigiar. O Portal Estradas tem pautado suas matérias com foco na segurança viária e na preservação de vidas humanas. Em algumas situações – como nesse caso – cobra das autoridades a devida explicação.

      Atenciosamente,
      Equipe Estradas

  2. Esse negócio da PRF atender o telefone é complicado,todas as vezes que tento falar na minha região não consigo, tenho que realizar uma chamada ao celular da PRF. Mais para isso é necessário procurar na lista,eles não gostam de atender essa é a verdade

    • Prezado Bryan Brasil, bom dia!

      Obrigado por nos prestigiar.

      Sem dúvida, sua declaração tem coerência. Reforçamos nosso compromisso em focar nossas pautas na preservação de vidas humanas.

      Atenciosamente,
      Equipe Estadas

  3. Negócio da PRF é multar caminhoneiro por causa de farol de neblina, foguinho, diferença de 1 cm na traseira, pneu de marca diferente etc. Pra ajudar mesmo, esses agentes de cobrança do governo não servem. O negócio deles é atrapalhar quem carrega o Brasil nas costas. Se fossem extintos, ninguém sentiria falta.

  4. Aqui no PR depender da polícia seja a Federal, Estadual ou Militar é uma tristeza também, Sempre o mesmo problema de telefone e quando dá sorte pra atender, ainda uma má vontade que só por Deus.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui