Quatro pessoas morreram somente neste final de semana. Cerca de 16 acidente foram registrados e muitos envolviam motocicletas

O fim de semana foi bastante violento na rodovias federais que cortam Goiás. Balanço divulgado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) destaca a ocorrência de 16 acidentes entre os dias 24 a 26 de novembro, com 17 feridos e quatro mortes. O que mais chama atenção é que todas as vítimas que morreram se envolveram em acidente causados por ultrapassagens em lugares proibidos.

Um acidente em Mara Rosa, ocorrido no sábado (24), causou três mortes de uma só vez após dois caminhões colidirem frontalmente. Um caminhão baú trafegava pela BR-153 no sentido norte/sul quando teria invadido a pista contrária e colidiu com outra carreta que vinha no sentido oposto. Com a violência do impacto, o caminhão baú foi partido em três e o motorista ficou preso nas ferragens. O passageiro foi arremessado para fora do veículo. O motorista do outro caminhão também ficou presos nas ferragens e não resistiu aos ferimentos.

Já na noite deste domingo (26), um homem de 54 anos morreu após o veículo que dirigia colidir na lateral de um caminhão durante uma ultrapassagem proibida. O caso também foi na BR-153, próximo a Uruaçu, no norte do Estado. A vítima dirigia uma Toyota Hilux quando visualizou um veículo na pista contrária. O homem tentou frenar para retornar à pista correta, mas acabou colidindo com a lateral da carreta, perdeu o controle e bateu em uma árvore na faixa de domínio, morrendo na hora.

Para o inspetor da PRF, Newton Morais, agora com o aumento de volume das chuvas, o motorista tem que redobrar a atenção, principalmente em rodovias de faixa simples. “Chama atenção nestes casos que muitos condutores acabam realizando ultrapassagens em lugares proibidos e, para retornar com certa pressa para a sua faixa, acabam acelerando e, com a pista molhada, é um fator positivo para a perda de controle dos veículos.”

Newton ainda ressalta que nos acidente com feridos, muitas das vítimas estavam em motocicletas e o abuso da velocidade também contribui para as ocorrências. “No caso de Mara Rosa, o motorista havia repassado a direção para uma pessoa não habilitada. Em outros acidentes, verificamos que os envolvidos estavam em motos com velocidades acima do permitido nos trechos”, encerra o inspetor.

Fonte: Mais Goias

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui