PIT STOP: As concessionárias Rota dos Coqueiros e Rota do Atlântico, em parceria com a ANTT, promovem nesta quarta (15), mais uma ação do Pit Stop, na PE-009. Foto: Divulgação

De acordo com a concessionária, motoristas que circulam em Suape receberão atendimento de saúde, kits de higiene e lanches

As concessionárias Rota do Atlântico e Rota dos Coqueiros, em parceria com a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), realizam nesta quarta-feira (15) ação de saúde junto aos caminhoneiros que circulam no Complexo Viário de Suape, principal polo portuário e industrial do Estado.

De acordo com as empresas, durante a 4ª edição do Pit Stop contra o coronavírus, realizado a partir das 8h, no km-37 Sul da PE-009, técnicos de saúde que atuam nas equipes de atendimento pré-hospitalar das concessionárias de rodovias farão medição de temperatura dos participantes, com orientações sobre prevenção, sintomas e tratamento da doença. Também haverá higienização de veículos e distribuição de kits com álcool em gel e sabonete, além de kits lanches e vale-lanches. A iniciativa conta com o apoio da Safety Med e do grupo Rota Petróleo.

Ainda de acordo com as concessionárias, nas três primeiras edições realizadas cerca de 600 transportadores foram atendidos. “Vamos manter esta ação enquanto durar o cenário de proliferação do vírus, entendendo que através das abordagens educativas ajudamos a reduzir os riscos de contágio” destaca o presidente da Rota do Atlântico, Elias Lages. “O evento semanal faz parte de uma força-tarefa da nossa operação neste momento para dar todo o suporte a quem precisa continuar circulando pelas estradas. A equipe do nosso Serviço de Auxílio ao Usuário é treinada para acionar atendimento emergencial a motoristas que apresentarem qualquer sintoma durante o trajeto”, completa o gestor.

“Como operadores de gestão rodoviária, o foco da nossa atuação neste momento é promover não só a segurança viária, mas também a saúde de quem não pode ficar em casa, adotando rigorosas medidas profiláticas para conter a contaminação de motoristas que circulam pela rodovia e de nossos integrantes que estão garantindo a manutenção do serviço essencial”, complementa a presidente da Rota dos Coqueiros, Rafaela Elaine.

Além de apoiar nas ações de saúde, com disponibilização de kits, a equipe de ANTT participa da ação tirando dúvidas dos transportadores sobre frete e obrigações dos contratantes e mapeia os problemas que vem sendo enfrentado pelos profissionais nas estradas diante das restrições necessárias para conter a proliferação do vírus. “Estamos auxiliando os transportadores para que nenhum direito seja desrespeitado neste momento em que o País está passando”, explica a coordenadora de Fiscalização da ANTT, Susiane Soares.

O motorista Romário Duarte, 52 anos, que transporta gás butano para abastecer a Região Metropolitana do Recife, aprovou a ação: “Nossa categoria é uma das únicas que está com atuação plena, cientes de que se pararmos a situação fica ainda mais crítica. Essa mobilização que vem sendo feita para ajudar os caminhoneiros é o que nos motiva a sair de casa mesmo diante do risco”, considera.

Serviço: 4º Pit Stop contra o coronavirus

Quando: 15 de abril (quarta-feira)

Horário: das 8h às 11h

Local: Km 37 Sul da PE-009 (Suape)

1 COMENTÁRIO

  1. Não obstante a demanda pelo fechamento do pedágio LAMSA durante o CORONAVÍRUS esse é um pedágio criminoso, por que:
    1 – Trabalha com recibos falsos, quando deveria trabalhar com a nota Carioca como faz o comercio local, ou seja, a receita do pedágio não se sabe exatamente qual seja, até porque tudo que arrecada não vai para os bancos é estocado abaixo das cabines, coletado pela transportadora Prossegur, depois dado destino ignorado, a SEFAZ e POLICIA FEDERAL sabem disso.
    2 – Não tem contrato valido com o município porque nunca participou de licitação publica para assumir a concessão de acordo com a Lei 8.987/96, portanto é uma concessionaria clandestina.
    3 – Cobrar pedágio em avenida é crime tributário, e crime de prevaricação entre outros, por esse motivo que a LAMSA não emite recibo válido por não haver respaldo legal para esse tipo.
    4 – Dos usuários/dia apenas 20% pagam o pedágio contra 80% não pagantes beneficiados, e isso se da justamente pela localização criminosa do pedágio, numa avenida entre bairros onde todos os acessos deveriam ter uma praça de pedágio, como não tem incorre no crime de isonomia entre diferenciando de contribuinte da mesma espécie.
    5 – Nem a concessionaria nem o Município podem multar por evasão de pedágio, e efetivamente o DETRAN/RJ não recebe e não contabiliza essas multas, e se o fizesse tanto a LAMSA quanto o Município estaria incorrendo no crime de extorsão mediante ameaça de multa.
    https://www.facebook.com/groups/407403712716182/?ref=bookmarks

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui