DUPLICAÇÃO: O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) liberou ao tráfego na sexta-feira (20) o último trecho duplicado de 168 quilômetros da BR-163/BR-364, entre Cuiabá e Rondonópolis, no Mato Grosso. Fotos: Divulgação/Dnit

Obra sob responsabilidade do Governo Federal finalmente foi liberada ao tráfego na sexta-feira (20)

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) liberou ao tráfego na sexta-feira (20) o último trecho duplicado de 168 quilômetros da BR-163/BR-364, entre Cuiabá e Rondonópolis, no Mato Grosso.

De acordo com o Dnit, a obra é importante para a infraestrutura de transportes do Mato Grosso. Segundo o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, a partir de agora, os caminhoneiros podem ir de Cuiabá até Rondonópolis – outro grande polo do agronegócio do Estado -, em uma rodovia com pistas totalmente duplicadas. “Isso significa menor tempo de viagem, redução de custos e, consequentemente, maior competitividade do produto nacional lá fora”, disse.

Tráfego intenso

De acordo com o Dnit, no primeiro semestre de 2021, mais de 30 mil veículos trafegaram diariamente no trecho das rodovias, entre Cuiabá e Rondonópolis. No último segmento entregue, além da construção de quatro viadutos, também foram implantadas e revitalizadas as pistas marginais da rodovia, possibilitando a separação entre o trânsito pesado de caminhões e o fluxo local dos veículos que acessam os bairros residenciais da região. Isso traz mais segurança ao trânsito e reduz o tempo de viagem dos usuários.

Menos acidentes (sinistros)

Segundo a Autarquia, com a duplicação finalizada, haverá melhoria no fluxo de caminhões rumo aos portos do Sul do país, de onde as cargas são embarcadas para o mercado internacional. O setor produtivo estima que quase 10 milhões de toneladas por ano de soja e milho passam pela rodovia. Outra obra a ser realizada é a construção do contorno do município de Jaciara, já em fase de elaboração do projeto.

TRECHO IMPORTANTE: O setor produtivo estima que quase 10 milhões de toneladas por ano de soja e milho passam pela rodovia.

De acordo com o Dnit, nos últimos sete anos, a partir da conclusão dos primeiros trechos de duplicação da rodovia, o número de acidentes despencou 64%, de acordo com a Polícia Rodoviária Federal, passando de mais de 800 para cerca de 300 no último ano. Uma redução significativa, principalmente, com relação às batidas frontais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui