SERVIÇO: Caminhoneiro é preso na BR-163, em Dourados (MS), com quase 210 kg de cocaína escondidas em carreta. Foto: Divulgação

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), motoristas foi contratado para um serviço de entrega

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu no Km 11 da BR-163, em Dourados (MS), 209,3 Kg de cocaína, na manhã de sexta-feira (7), que estavam sendo transportados em uma carreta Scania T113, atrelado a um semirreboque, ambos com placas do Paraná.

De acordo com os agentes, o veículo estava sendo conduzido por homem de 31 anos. Na companhia dele, estavam duas mulheres. Uma delas, não portava documentos. O condutor disse que transportava uma carga de milho para o estado de Santa Catarina.

Ainda de acordo com a PRF, os policiais desconfiaram de algo e solicitaram que o trio seguisse para a Unidade Operacional da PRF em Dourados. Em vistoria à bolsa de uma das passageiras, foram apreendidos 7,2 quilos de maconha e com a outra, 2 quilos de cocaína.

Diante dos fatos, eles foram encaminhados junto com a carreta para uma empresa a fim de fazer a descarga do milho.

No local, segundo a PRF, foi possível encontrar, na parte frontal e interna da carreta, um compartimento secreto, previamente preparado e onde constava, após ser aberto, uma grande quantidade de tabletes cocaína, totalizando 209,3 quilos.

Recompensa

Questionado, o caminhoneiro alegou que havia sido contratado para realizar três viagens, e que receberia como pagamento o conjunto trator que conduzia. Ele disse que ficou em um hotel na cidade de Ponta Porã (MS) por seis dias, prazo em que o caminhão foi preparado com a droga no Paraguai.

De acordo com a PRF, as mulheres estavam envolvidas no crime, tendo o papel de desviar a atenção, em uma possível fiscalização policial, da carga maior transportada, já que transportavam, em fácil localização, relativa pequena quantia de drogas.

Os envolvidos foram presos e encaminhados, juntamente com o veículo e a droga, para a Policia Federal de Dourados (MS).

Fonte: PRF/MS

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui