A dura jornada dos caminhoneiros compromete a saúde e coloca em risco suas vidas e dos demais Foto: Estradas.com.br

Quem imaginou que caminhoneiro não gosta de fiscalização está enganado. Isso ficou evidente na operação realizada em Anápolis (GO) no posto da Polícia Rodoviária Federal da BR-060 nessa terça-feira (10). Depois de passarem por um verdadeiro “circuito de saúde” os caminhoneiros saiam satisfeitos e valorizados.

Em razão da quantidade e gravidade dos acidentes de trabalho no trânsito envolvendo motoristas profissionais, a Superintendência Regional do Trabalho coordena e executa com instituições públicas e privadas a Operação “Saúde e Segurança do Trabalho nas Estradas Salvam Vidas”.

Nessa terça-feira (10), foi realizada a Operação no posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF) localizado em Anápolis (GO) no km 86 da BR-060, das 8h às 13h, e contou com a participação de vários órgãos e entidades, sob o comando da Superintendência Regional do Trabalho em Goiás (SRTb-GO), com apoio da Auditoria Fiscal do Trabalho da Coordenação de Transportes da SRTb-GO, Secretaria de Estado da Saúde (SESGO) por meio da SUVISA, Sest/Senat, Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), PRF e entidades apoiadoras não governamentais.

Os caminhoneiros eram convidados pela PRF a participarem de um verdadeiro circuito de saúde. Os motoristas eram testados para a Covid-19, podiam tomar vacinas, medir a pressão arterial, testar para doenças sexualmente transmissíveis, além de realizar teste de acuidade visual e auditiva. Muitos aproveitaram até a oferta do exame toxicológico gratuito no local, fornecido pela ABTOX. Depois, conversavam com os auditores fiscais do trabalho que verificavam a jornada de trabalho e eventuais abusos cometidos pelas empresas.

Na parada para medir a pressão arterial muitos caminhoneiros apresentaram situações preocupantes. São ‘bombas relógio’, prestes a explodirem, colocando em risco sua vida e de terceiros. Infelizmente, vítimas de um sistema de exploração do trabalhador que compromete a saúde e que leva muitos ao uso de substâncias psicoativas para se manterem acordados.

Nos casos em que foi identificado possível abuso das empresas, os auditores do trabalho vão fazer uma visita, não importa em que parte do país está localizada. Isto significa que se um motorista de uma transportadora de Santa Catarina foi flagrado em excesso de jornada em Goiás, a empresa não vai escapar da fiscalização.

Ao final do ‘circuito, vários caminhoneiros agradeceram pela fiscalização. “Aqui me senti respeitado”, disse um caminhoneiro veterano, que não quis se identificar porque sua empresa exige viagens impossíveis de fazer sem descumprir a lei do descanso.

Outros tiravam fotos com os fiscais e demais colaboradores do evento. Receberam bastante material educativo e informativo. Até faixas refletivas foram oferecidas gratuitamente para que colocassem nos caminhões.

Para o coordenador do SOS Estradas, Rodolfo Rizzotto, que esteve presente no evento, é uma iniciativa de primeiro mundo. “O que assistimos aqui é uma prova de que o Brasil tem servidores públicos de vários órgãos, que realmente servem o público e trabalham integrados. Pessoas dedicadas, atenciosas com os profissionais, com determinação de fazer cumprir a lei mas com a delicadeza de quem sabe que a principal vítima é o motorista. É um exemplo para o país e precisa ser expandida para todo território nacional.”

SAIBA MAIS SOBRE ESSAS OPERAÇÕES

A auditora fiscal do trabalho, Jacqueline Carrijo que coordena essas operações explica os objetivos da iniciativa.

“As ações da Operação “Saúde e Segurança do Trabalho nas Estradas Salvam Vidas” integram a Campanha Nacional de Prevenção de Acidentes (CANPAT 2022) do Ministério do Trabalho e Previdência e as ações do Maio Amarelo que objetivam reduzir os acidentes do trabalho no trânsito e os acidentes de trânsito, respectivamente, envolvendo motoristas profissionais.”

Jacqueline Carrijo orgulhosa da equipe e trabalho realizado Foto: Estradas.com.br

Ela detalha ainda tudo que é feito em prol do motorista profissional e da segurança viária. Veja a lista impressionante de ações:

1- atuação da Auditoria Fiscal do Trabalho nas empresas transportadoras com ênfase na saúde ocupacional dos motoristas (Programa de Gerenciamento de Riscos e Gerenciamento de Riscos Ocupacionais PGR/GRO), na Jornada de Trabalho. Abordamos responsabilidade coletiva e autocuidado. Problemas de saúde associados e/ou decorrentes do excesso de jornada de trabalho (exemplo: privação do sono, alcoolismo, consumo de drogas ilícitas) potencializam os riscos de acidentes do trabalho e os acidentes de trânsito envolvendo motoristas profissionais; atuação relativa ao excesso de jornada de trabalho associada ao excesso de peso e de velocidade, à remuneração por produtividade que aumenta os riscos de adoecimento físico e mental dos motoristas profissionais e de acidentes nas estradas;

2. atuação da Secretaria de Estado da Saúde na aferição de pressão arterial, testagem de glicemia, aferição de peso e altura, teste de COVID-19, teste rápido de ISTs, vacinação contra COVID-19 e influenza; orientações sobre saúde do trabalhador, a importância de hábitos saudáveis (alimentação, atividade física, não uso de tabaco), e sobre os diversos fatores de risco para ocorrência dos acidentes de trânsito, a exemplo da sobrecarga de trabalho e metas.

Os trabalhadores também recebem orientações sobre prevenção de IST/AIDS com distribuição de preservativos. A atuação objetiva avaliar as condições de saúde dos motoristas profissionais e sensibilizá-los quanto à importância da relação entre a saúde e a segurança na estrada. Problemas de saúde como vertigem ou mal-estar, em decorrência da elevação da glicemia e da pressão arterial, podem provocar acidentes;

3. atuação do Serviço Social do Transporte/Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte – SEST/SENAT em mais uma ação do Maio Amarelo tem o objetivo de promover a redução de acidentes através da educação e da qualificação profissional, de mostrar o papel de cada um por um trânsito mais seguro para todos os usuários do sistema rodoviário;

4. atuação da Polícia Rodoviária Federal de execução, promoção e participação em atividades que garantam a segurança viária, bem como participar de ações de prevenção de acidentes de trânsito;

5. atuação da Agência Nacional de Transportes Terrestres de garantia da segurança do serviço de transporte rodoviário de carga; participação em atividades de promoção do trânsito seguro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui