.

Caminhoneiros que desciam carregados com grãos rumo ao Porto de Paranaguá foram abordados por guardas portuários e policiais rodoviários federais na manhã desta quarta-feira (19), na BR 277. A abordagem foi feita no posto Wanser, da PRF, e foi a primeira blitz educativa da Operação deste ano.

O objetivo da abordagem é chamar a atenção quanto às regras da descarga de grãos no Porto de Paranaguá, garantindo que o escoamento da safra de grãos seja tranquilo e sem formação de filas no acesso ao Pátio.

“O volume de caminhões graneleiros que nós estimamos receber este ano é de 450 mil. Estamos somando esforços para ordenar a chegada destes caminhões e, assim, evitar congestionamentos. No entanto, com o grande fluxo de veículos, a possibilidade de acidentes também cresce e nós sentimos os estragos que eles causam”, explicou o diretor técnico do porto de Paranaguá, Paulinho Dalmaz.

Num intervalo de quatro dias, o sistema de recebimento de cargas do porto ficou prejudicado por dois acidentes envolvendo caminhões. No sábado (15), um caminhão-guincho derrubou a rede de fibra óptica da Copel, deixando o Pátio sem internet. Na terça-feira (18), um outro caminhão bateu num poste e deixou toda a região no entorno do Pátio sem luz, por mais de 5 horas. Nos dois episódios, houve formação de filas de até oito quilômetros no acesso ao pátio, em função da queda do sistema informatizado.

José Hamilton de Farias, inspetor da PRF, disse que a ação em parceria com a Appa soma-se às demais ações já realizadas pela Polícia em todo o estado. “Nas nossas abordagens que ocorrem ao longo do ano, sempre orientamos os caminhoneiros sobre a questão da segurança do trânsito e também sobre a importância do agendamento da carga junto ao porto. Com o fim das filas nas estradas, a segurança de todos que trafegam melhorou muito e precisamos manter esta condição”, disse.

MEIO AMBIENTE – Além de serem orientados sobre os procedimentos de chegada ao Porto, os caminhoneiros também estão recebendo informações sobre a necessidade de manter a cidade de Paranaguá limpa. O folder informativo, que está sendo entregue aos motoristas, também traz informações de como fazer na questão da limpeza das caçambas dos caminhões. Sacos de lixo estão sendo entregues aos motoristas na entrada do Pátio de Triagem para que eles coloquem o resíduo da limpeza das carrocerias.

“Geralmente, os caminhões que chegam a Paranaguá carregados com grãos voltam ao Interior com fertilizantes. E antes de fazerem a carga deste produto, é preciso limpar o resíduo dos grãos da carroceria. A maior parte destas varreduras é feita nas calcadas. O grão fica exposto ao vento, sol e chuva, acaba fermentando e suja a cidade, além do mau cheiro. Nós queremos que o caminhoneiro coloque esta varredura nos sacos de lixo e contribua para manter a cidade mais limpa”, explicou Dalmaz.

O caminhoneiro Ivando Benfica saiu do Mato Grosso com 37 toneladas de soja rumo a Paranaguá. Ele conta que há pelos menos quatro anos faz o frete com destino ao porto paranaense e já conseguiu perceber as mudanças trazidas pelo Carga Online. “Já peguei muita fila na estrada e hoje isso não acontece mais. A gente já chega com previsão de descarga, com lugar demarcado no pátio e isso é muito bom”, afirma.

CARGA ONLINE – O carga online é um sistema informatizado que ordena a chegada de caminhões graneleiros ao Porto. Diariamente são liberadas cotas para os terminais com a quantidade de caminhões que pode ser destinada a Paranaguá. Estas cotas são definidas tendo em vista a programação de navios a atracar no Porto.

Com o sincronismo da chegada de caminhões e embarque nos navios, é possível controlar os estoques, dar fluxo ao pátio de triagem e evitar filas no acesso aos portos. O sistema foi criado em 2001 e desde então vem passando por constantes aprimoramentos. Um dos mais recentes é que o caminhoneiro pode consultar, ainda na origem, se o seu caminhão já está cadastrado junto ao Porto. Basta enviar um SMS para o número 28595, com o texto “APPA” e o número da placa do caminhão ou fazer a consulta pelo site da Appa: www.operacaosafra.pr.gov.br/

A partir desta primeira ação, outras serão realizadas nas regiões de Ponta Grossa, Maringá e Cascavel, entre os meses de fevereiro e março, pico do escoamento da safra de soja. O material da campanha continuará sendo entregue nas praças das concessionárias das rodovias – Ecovia, CCR- Rodonorte e Ecocataratas – e no Pátio de Triagem.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui