ATENÇÃO: Concessionária da BR-163, em Mato Grosso, implanta programa de prevenção às queimadas, comuns nessa época do ano. Nessa segunda-feira (26), a BR-163 (foto), teve que ser fechada por conta de incêndio às margens da rodovia. Foto: Divulgação

Ação preventiva da empresa evitou aumento no número de focos de incêndio

O trabalho de prevenção às queimadas realizado às margens da BR-163, em Mato Grosso, possibilitou que o número de ocorrências se mantivesse estável ao longo dos 850,9 quilômetros sob concessão da Rota do Oeste.

De acordo com a concessionária, ainda assim, os incêndios registrados nas regiões próximas à rodovia geram fumaça que podem comprometer a segurança dos motoristas, que devem redobrar a atenção em situações desta natureza. Um exemplo foi o fechamento da pista na manhã dessa segunda-feira (26), no km 604 da BR-163, em Nova Mutum, onde a fumaça atrapalhava a visibilidade.

Levantamento

De acordo com levantamento da empresa, foram identificados 74 pontos com fogo no trecho sob concessão no período de 15 de julho até 22 agosto deste ano. O número é estável em comparação ao mesmo período do ano passado, quando foram identificados 78 casos.

“Os dados demonstram que os registros na BR-163 estão estáveis e não acompanham a evolução identificada no restante do estado. Segundo o próprio Corpo de Bombeiros, Mato Grosso apresentou 41% de aumento no número de focos de calor este ano. Acreditamos que o trabalho preventivo realizado às margens da BR-163 e uma conscientização maior de quem trafega pela rodovia são fatores que refletem nessa estabilidade de casos no trecho sob concessão”, esclarece o gerente de Operações da Rota do Oeste, Wilson Ferreira.

Mesmo com o controle na quantidade de casos, a fumaça pode atrapalhar a visibilidade de quem trafega na BR-163, uma vez que algumas propriedades na região estão sendo afetadas pelo fogo.  Nesses casos, a orientação aos motoristas é para que reduzam a velocidade do veículo, redobre a atenção, pare em um local seguro quando identificar que não é possível seguir viagem e acione a empresa pelo telefone 0800 065 0163. Ferreira alerta ainda sobre a importância de os motoristas estarem atentos à incidência de fumaça mesmo que a longas distâncias.

“Durante a viagem é possível verificar a existência de fumaça em pontos mais distantes. Nesses casos, o recomendado é avisar a Rota do Oeste. Orientamos os motoristas a não tentarem apagar as chamas para evitar que se machuquem. Também pedimos que não ignorem as chamas. O recomendado é avisar a Concessionária para que as providências de controle sejam adotadas”.

A concessionária dispõe de cinco caminhões pipa e todos os veículos de inspeção contam com abafadores e equipamentos que dão condições aos funcionários de combater pequenas chamas, em estágio inicial, evitando que alastrem o fogo.  Vale lembrar que os funcionários da empresa são habilitados para apagar focos iniciais. Em casos de incêndios de grandes proporções, a instituição habilitada para o combate às chamas é o Corpo de Bombeiros. “Nós prestamos suporte e apoio para a instituição, sempre trabalhando em parceria”.

Alertas

Ainda como parte do trabalho da empresa para informar os motoristas sobre a incidência de fumaça e comprometimento da visibilidade na BR-163, a concessionária passa a disponibilizar avisos nos Painéis de Mensagens Variáveis (PMVs) sobre a situação da rodovia.

Os casos que possam comprometer a segurança dos motoristas também serão alertados nas praças de pedágio e boletins de tráfego divulgados frequentemente no portal da concessionária. Além disso, quem for viajar pode entrar em contato com a empresa pelo 0800 065 0163 para ter informações sobre incidência de queimadas.

Prevenção

Desde junho, a concessionária desenvolve um plano especial de prevenção às queimadas em preparação a época mais seca do ano em Mato Grosso. Para elaborar a ação, a Concessionária mapeou os locais mais sensíveis dos 850,9 quilômetros sob a sua responsabilidade.

O plano contou com alertas aos motoristas por meio dos painéis de mensagem variável (PMVs) na rodovia, reforço da limpeza da faixa de domínio, formação de aceiros, supressão vegetal, monitoramento da faixa de domínio e auxílio físico e material às unidades do Corpo de Bombeiros, que é o órgão responsável pelo combate às chamas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui