DIAS CONTADOS: Entrevias e Polícia Rodoviária de SP intensificaram a fiscalização nos pedágios da região de Ribeirão Preto (SP), a fim de evitar evasões e acidentes. Foto: Divulgação/Entrevias

De acordo com a Entrevias, a famosa “coladinha”, que também traz riscos de acidentes, está na mira do policiamento rodoviário nas rodovias da região de Ribeirão Preto, no interior paulista (veja vídeos)

Os dias dos ‘espertinhos’ estão contados. Isso porque a concessionária Entrevias e a Polícia Militar Rodoviária do Estado de São Paulo (PMRv-SP) estão usando tecnologia para combater a prática ilegal e perigosa de alguns motoristas nas rodovias da região de Ribeirão Preto, no interior paulista.

De acordo com a concessionária, o policiamento foi intensificado neste fim de ano por conta do aumento no tráfego de veículos, com atenção especial nas infrações que podem causar acidentes (sinistros) graves.

Segundo a Entrevias, as rodovias da região de Ribeirão Preto (SP) contam com o monitoramento feito pela tecnologia da concessionária na conduta de condutores que evadem do pedágio e não fazem uso do cinto de segurança.

Aumento de ocorrências

De acordo com levantamento feito pelo Centro de Controle de Operações (CCO), houve aumento de 8% na evasão de pedágios, que acompanha a alta na movimentação de veículos nas praças de Sertãozinho, na Rodovia Atíllio Balbo (SP-322), e Sales Oliveira, na Via Anhanguera (SP-330). “O que realmente preocupa são as artimanhas de motoristas que passam nas pistas automáticas. Geralmente, estes infratores seguem muito próximos dos veículos à frente, nas chamadas ‘coladinhas’, o que potencializa o risco de colisão traseira”, afirma José Vital, gestor de Operações da Entrevias.

Vital acrescenta que outra tática arriscada de motoristas de carros de passeio e caminhões é trafegar em alta velocidade nas pistas para rebater a cancela. “Nesses corredores, onde a velocidade máxima de 40 km/h é monitorada por lombadas eletrônicas, o condutor pode causar sinistros envolvendo outros veículos ou até mesmo funcionários dos pedágios.

Câmeras estão de olho

As praças de pedágio da Entrevias são monitoradas por câmeras que registram automaticamente estas transgressões. A PMRv tem ainda acesso irrestrito e on line a esses circuitos, o que permite ampliar a tomada de decisões estratégicas para coibir as práticas.

De acordo com a Entrevias, há uma atenção especial dada aos evasores, que utilizam sistemas de rebatimento de placas, alteram números e letras ou, simplesmente, sujam a superfície para impedir a identificação.

“Identificamos a infração e, com as características dos veículos, conseguimos proceder a abordagem adiante, em um local seguro e adequado para o trabalho do policiamento rodoviário”, explica o capitão PM Túlio César Vancim de Azevedo, comandante da 2ª Companhia do 3º Batalhão da Polícia Rodoviária.

Ao longo de todo o trecho sob gestão da Entrevias, 570 quilômetros de extensão, mais de 300 câmeras contribuem com o serviço de inteligência da Polícia Militar Rodoviária. Os policiais conseguem fiscalizar outras infrações como uso do celular ao volante. “Hoje temos condições, com a parceria da Entrevias, de autuar – mesmo sem abordagem – condutores que infringem as leis de trânsito. O policiamento das rodovias é mais eficiente, o que reflete na segurança dos viajantes”, reforça o capitão Vancim.

Segundo a concessionária, outra prática que recebe atenção especial neste fim de ano e que pode gerar multas à revelia ao condutor, ou seja, com a evidência do monitoramento da Polícia Rodoviária por câmeras, é o não uso do cinto de segurança.

De acordo com pesquisa recente da Entrevias, no trecho de Sertãozinho (SP), aponta que a maioria dos ocupantes do banco traseiro do veículo dispensa o equipamento de segurança, costume admitido por 88% dos entrevistados. Já no banco do passageiro, o cinto é dispensado por 55% dos ocupantes. E os motoristas que se recusam a usar o equipamento correspondem a 6% dos participantes.

Vida em Movimento

A Entrevias tem um programa de segurança viária, o Vida em Movimento, que realiza campanhas específicas sobre a importância do uso do cinto de segurança. Faixas instaladas nas rodovias, abordagens aos motoristas e postagens em redes sociais fazem parte da estratégia de orientação aos usuários.

Infração grave

Evadir-se do pagamento de tarifa em pedágio é considerado infração grave e está prevista no artigo 209 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), Lei nº 9.503/97, com 5 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e multa de R$ 195,23. No caso dos veículos de carga, o valor é multiplicado pelo número de eixos. As multas são recolhidas pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER).

Da mesma forma, é considerado infração grave o não uso do cinto de segurança, prevista no artigo 167 do CTB. Já utilizar o telefone celular enquanto dirige, conforme o artigo 252 do Código, atualizado em 2006 pela Lei nº 13.281, é penalidade gravíssima, com multa de R$ 293,47 e 7 pontos na CNH.

Quem é a Entrevias

A Entrevias Concessionária de Rodovias é responsável pela operação, manutenção e modernização do lote Rodovias do Centro-Oeste Paulista, com 570 quilômetros de vias no eixo entre Florínea, na divisa com o Paraná, e Igarapava, na divisa com Minas Gerais.

O contrato de concessão assinado com o governo do Estado de São Paulo por meio da Artesp, agência reguladora dos transportes, prevê investimentos de R$ 3,9 bilhões na restauração de rodovias, ampliação da malha viária e implantação de tecnologias e inovações que contribuam para prestação de serviços de alta qualidade aos usuários. Visite o site da empresa: www.entrevias.com.br. Em caso de emergência nas rodovias ligue para 0800 3000 333.

Em 2021, a Pesquisa CNT de Rodovias, da Confederação Nacional de Transportes, divulgou um ranking onde trecho administrado pela concessionária foi considerado entre os melhores para viajar do país. Mais informações no site da empresa ou pelo telefone 0800 3000 333.

MAIS RIGOR NA FISCALIZAÇÃO: Os dias dos ‘espertinhos’ estão contados. Isso porque a concessionária Entrevias e a Polícia Militar Rodoviária (pmrV) estão usando tecnologia para combater a prática ilegal e perigosa de alguns condutores nas rodovias da região de Ribeirão Preto (SP).

19 COMENTÁRIOS

  1. Se é empresa provada que administra a rodovia,por que está sendo usado dinheiro público pra coibir a evasão, não que eu seja a favor do usuário de evadir a praça de pedágio.
    Só acho que a polícia tem que mais coisas afazeres que pagar sapo pra concessionária.

    • Porque quem cuida de bandido que coloca em risco vida de pessoas públicas são órgãos públicos. Sem contar que esses imbecis que evafem pedágio fazem aumentar a tarifa para os que pagam.

    • Então pela sua lógica se você sofrer algum acidente ou roubo a polícia não deve agir em sua defesa?

    • Concordo e se não quer evasão cobre um preço justo por eixo,e cumpram os contratos de privatização de construir áreas de descanso com banheiros e refeição e mantenham as estradas transitáveis as estradas são boas até uns 280 km da capital depois disso a rodovia e intransitável mas o pedágio está lá para te cobrar a grana exorbitante fora a lei de instalação de pedágios existe uma kilometragem mínima ,fora que para se colocar pedágio em uma estrada tudo e acertado entre vereadores prefeitos deputados estaduais e governadores

  2. ESSE QUE ARRUMOU UM JEITO DE EVITAR EVASÃO DOS PEDÁGIO DEVERIA ARRUMAR UMA MANEIRA DE ARRUMAR AS RODOVIAS QUE PELO PREÇO DO PEDÁGIO E UMA PORCARIA É BURACO É COSTELINHA NO ASFALTO PONTO DE APOIO SANITARIO É UM HORROR ENQUATO ISTONOS PAGAMOS A CONTA LAMENTÁVEL.

  3. IPVA, DPVAT lá na casa do chapéu para nada. Ainda temos que sustentar essas concessionárias parasitas por pedagios. Grande “conquista” conseguir atrapalhar a vida já difícil dos caminhoneiros. Jornalistas porcos. Sempre do lado dos poderes financeiros. Vão comemorar na casa do caralho.

    • É incrível como querem criar um rótulo de coitados, conheço diversos caminhoneiros que com mérito do seu trabalho conquistaram muita coisa, e digo trabalho por que não estão fazendo isso de graça e nem tão pouco tento prejuízo, caso estivesse não sairiam de casa. E a troca do trabalho pelo dinheiro, isso não os torna mais sofridos ou melhores que ninguém. E alguns são umas pragas na estrada, colocando em risco muitos outros motoristas, por benefício próprio.

  4. Cadê lei que diz vc tem direito ir vir nesse caso vc só vai ou vem se tiver dinheiro pra sustentar esses contratos que governo assina com essas empresas constrói estradas com nosso dinheiro e depois repassa pra essas concenaria para sobre taxar pedágio novamente para tomar nosso dinheiro onde
    está dinheiro do IPVA das multas de licenciamento infelizmente nesse país negócio jogar pro povo pagar esses sim são bobos aceita tudo goela abaixo e fica quentinho né em quanto isso os bam.bam guardando dinheiro nos paraísos fiscais eita Brasil até quando vamos sustentar esses bandos de inútil.

  5. Interessante, quando se trata em punir o infrator existe campanha investe dinheiro e tudo mais,mas quanto a campanha de educação pouco se fala, porque será?

  6. Só acho que deveria ser comprovado a multa por imagens, pois meu irmão recebeu duas multas na mesma praça de pedágio, com a liberação do funcionário, e quando apresentou a fatura do sem parar não foi aceito e teve que pagar as multas e os pontos

  7. Precisam avisar o ilustre Capitão Vancim, de que a prática de utilizar a fiscalização por videomonitoramento para lavrar autos de infração por infrações que ocorrem no interior do veículo (celular, cinto de segunda a e etc) são proibidas por conta de uma ação do MPF em que foi dado provimento, com isso, tal conduta ficou proibida em todo o país, sendo possível apenas lavrar AIT’s referente CIRCULAÇÃO, PARADA e ESTACIONAMENTO. Pesquisem e notarão que estou dizendo a verdade! Abraços!

  8. Tem que cobrar dos Deputados que votem projetos para diminuição da cobrança porque ao meu vê principalmente no estado de SP tem lugares que não se anda 10 km já vem um novo pedágio, é um abuso ao consumidor que já paga um IPVA também abusivo!

  9. Essa desculpa de sinistro e bla bla bla não cola o que eles estão é pensando é na perca de dinheiro ,não sou a favor de artimanhas para não pagar pedagio , mas sou totalmente contra usar do dinheiro público para evitar tais ações tirando o policiamento das estradas e protegendo os pedágios que deveriam bancar suas estratégias de recuperar o dinheiro perdido, passo por vários pedágios todos os dias e polícia virou segurança privada das praças enquanto isso os roubos e assaltos seguem a todo o vapor nas rodovias . Só no Brasil mesmo !

  10. Por essas e outras que não uso o sem parar ou outros, só concordo com a maioria, deveria ter um preço justo nos pedágios, cobrar 15 reais a cada 40 ou 50 km’s deveria ser uma infração gravíssima. E usar o policiamento a favor das concessionárias tá saindo mais caro ainda. Quem paga o combustível para as viaturas policiais, quem paga o tempo de trabalho deles?

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui