Na última sexta-feira, em Sorriso, representantes de várias associações de consórcios rodoviários que formaram PPPs- Parceria Público Privada- entre produtores rurais, Governo do
Estado e prefeituras para asfaltar rodovias em Mato Grosso, estiveram reunidos para avaliar as primeiras ações desenvolvidas. Com a participação do prefeito em exercício de Sorriso,
Luiz Carlos Nardi, do prefeito de Ipiranga do Norte, representantes de outros municípios, os dirigentes fizeram uma avaliação dos consórcios que estão pavimentando rodovias desde 2003.

De acordo com o gerente administrativo da Associação dos Beneficiários da Rodovia dos Pioneiros, Milton Pill Frazon, foram discutidas as formas e viabilidade do término de asfaltamento das rodovias. “Quando foram firmados esses convênios, em 2003, a soja estava em alta e o acordo era que as associações deveriam arcar com o levantamento das rodovias, ou seja, toda a parte bruta e o governo só entraria com a camada asfáltica. Mas hoje, a parte que cabe às associações encareceu muito. O quilômetro quadrado está na média de R$400 mil e o preço da soja caiu ainda mais”, explicou ele.

Com isso, surgiu a necessidade de uma nova definição para que seja viabilizado o término de várias obras de pavimentação. “Ficou pré-acordado que neste ano, o governo vai dar realizar serviços de urgências em algumas rodovias prioritárias e a partir do ano que vem, cada associação deverá arcar com cerca de R$110 por km e o restante será arcado pelo governo do Estado, ou seja, o valor para o associado vai ficar bem mais em conta”, destacou Frazon.

Como neste ano, praticamente, o Estado já entra no período de chuvas, pouco resta para se fazer. Os convênios que se encerravam agora em outubro, serão automaticamente prorrogados por mais dois anos e as associações voltam à ativa com as pavimentações no ano que vem.