SALDO TRISTE: Levantamento da Confederação Nacional do Transporte já apontou que, apenas nas rodovias federais, mais de 5 mil pessoas morreram em acidentes, um crescimento de 1,2% em relação a 2018. Foto: Divulgação

De acordo com estudo, os motociclistas representam 60% das internações registradas

Um levantamento do Ministério da Saúde divulgado em 4 de junho pela rádio CBN, mostra que as internações por acidentes de trânsito em 2019 cresceram 18% na comparação com 2018.

De acordo com o documento, o número de pessoas internadas no ano passado ultrapassou 219 mil contra cerca de 185 mil no ano anterior. O estudo mostra também que, entre os principais envolvidos nas ocorrências, estão os motociclistas, que representaram 60% das internações registradas.

Ainda de acordo com os dados do Ministério da Saúde, de janeiro a março de 2020, foram mais de 50 mil internações.

A matéria também apresenta que um levantamento da Confederação Nacional do Transporte (CNT) já apontou que, apenas nas rodovias federais, mais de 5 mil pessoas morreram em acidentes, um crescimento de 1,2% em relação a 2018.

É o primeiro aumento de mortes nas rodovias em pelo menos cinco anos. A queda até então era constante. Os acidentes em geral também aumentaram em pelo menos 7% em relação a 2018.

A alta de vítimas e acidentes é atribuída por pesquisadores à retirada dos radares móveis nas rodovias em agosto do ano passado, iniciativa determinada pelo presidente Jair Bolsonaro. Como explicou o especialista em medicina preventiva e diretor da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego, Flávio Emir Adura:

“O único fator diferente que houve em 2019 foi a retirada dos radares. Não houve nenhum outro fato histórico importante. Havia uma tendência de redução e entra o fator velocidade. A velocidade é um dos fatores mais extraordinários na responsabilidade dos acidentes.”

Em 2011, o Brasil se comprometeu em conferência da ONU a reduzir pela metade as mortes no trânsito. A diminuição ao longo de 9 anos, no entanto, foi de apenas 24%.

Fonte: Seguradora Líder

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui